sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Comunicação Assistiva


Técnicas para se comunicar com pessoas com deficiência (foto: bemparana.com.br)
Relatos de pessoas com deficiência sofrendo preconceito há aos milhares, porém muitas vezes não se trata de preconceito propriamente dito, mas sim de falta de tato ou conhecimento sobre como lidar com pessoas nesta condição. Para a maior parte das interações, o ideal é que as PCD's sejam tratadas com naturalidade, porém alguns tipos de deficiência demandam conhecimento específico e cuidados especiais.

Para não cometer uma gafe ou até mesmo gerar processos judiciais, é necessário o acompanhamento ou treinamento por profissionais especializados. 

Mas onde encontrar este tipo de profissional? Até pouco tempo acreditei que seriam médicos, fisioterapeutas ou enfermeiros com especialização ou experiência na área, até que descobri que existe um curso, uma graduação tecnológica de dois anos e meio voltada a esta necessidade, é o curso de Comunicação Assistiva, ministrado em diversas faculdades pelo país. 

Mas do que exatamente se trata este curso? Quem me respondeu esta pergunta foi a Letícia Paiva, que cursou alguns semestres e se apaixonou pelo curso. Nele o estudante aprende os fundamentos da educação de pessoas com deficiência, diversas formas de comunicação com estas pessoas, passando pela linguagem de sinais, braile, linguagem corporal entre outras, sempre voltado para a inclusão social.

Até aulas práticas com faixas nos olhos, rodando em cadeiras de rodas e com ouvidos tampados eles tem, para vivenciar um pouco do que passam as pessoas com deficiência. O mais legal é que o curso quebra o estereótipo de que toda pessoa precisa sempre de ajuda, além de informar sobre leis e direitos que pessoas com deficiência tem, e geralmente não sabem.

Navegando pelas instituições que oferecem o curso, descobri que aqui em Belo Horizonte ela é oferecida pela PUC-Minas, em forma de graduação tecnológica, com foco em Libras e Braille, e na Uni-BH. É uma boa oportunidade para quem tem interesse em seguir carreira ou se especializar.

Empresa afasta motorista que se negou a embarcar cadeirante - Veja o vídeo.

Foi aberta também procedimento para se apurar as circunstâncias em que se deram os fatos.

MT Agora - Hiper Notícias

                             
                            Mulher não conseguiu embarcar no ônibus

Um vídeo que circula pelas redes sociais mostra o descaso de um motorista do transporte coletivo com um cadeirante. Ele se recusa a descer o elevador do veículo para que o deficiente possa entrar no ônibus. Conhecidos da cadeirante se revoltaram e o profissional ainda os ameaça com um pedaço de madeira.

O fato ocorreu em um dos pontos do bairro Santa Laura, na linha 517B da empresa Norte Sul Transportes.

O autor do vídeo está na parado juntamente com a cadeirante e outras pessoas. Ele narra que já estavam há cerca de uma hora no local a espera do ônibus e quando o mesmo parou, o motorista não baixou o elevador para que a deficiente pudesse subir com a cadeira de rodas.

Uma mulher ainda entra na frente do veículo na tentativa de impedir que o condutor siga adiante sem embarcar a cadeirante. Porém, o motorista ainda investe contra a moradora e para em seguida.

Irritado, o condutor desce do veículo com um pedaço de madeira e ameaça as pessoas. Depois, ele volta para a direção e segue viagem sem embarcar a mulher. Os moradores ainda atiram pedras contra o veículo e segue seu trajeto.

O vídeo rendeu diversos comentários repudiando a atitude do motorista e outros o defendendo, informando que ele já havia relatado que o elevador estava estragado e por isso não poderia embarcar a mulher na cadeira de rodas.



A empresa Norte Sul foi procurada e informou por meio de nota que lamenta o ocorrido e que o motorista foi afastado de suas funções. Foi aberta também procedimento para se apurar as circunstâncias em que se deram os fatos. Ressalta que os profissionais passam por treinamento. Segundo a nota, o elevador estava funcionando normalmente.

Confira nota na íntegra:

A Empresa NS lamenta o ocorrido e afastou de imediato o motorista da função. Informa ainda que foi aberta uma auditoria que vai apurar todas as circunstâncias do fato e que, serão tomadas as providências administrativas necessárias após a conclusão. A NS ressalta que todos os motoristas passam por treinamento, inclusive com simulações, para melhor atendimento a idosos, gestantes e cadeirantes. E que o elevador usado para embarque e desembarque de cadeirantes, estava funcionando normalmente, o que foi comprovado após vistoria realizada pela Semob.

Maior festival de Crossfit da América Latina abre vagas para cadeirantes

                               Foto: Thaís Oliveira
                               A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém o atleta Diego Coelho fazendo se pendurando em uma corda que está pendurada em uma barra de ferro dentro de um ginásio e sentado na sua cadeira de rodas adaptada. Fim da descrição.
                              Legenda: Diego Coelho é cadeirante e campeão brasileiro

Já ouviu falar no Monstar Games? É o maior festival fitness da América Latina que reuni atletas da modalidade Crossfit que treinam o condicionamento em geral.

Neste ano, na Etapa São Paulo terá uma categoria inclusiva para cadeirantes, idealizado pelo campeão brasileiro Diego Coelho em parceira com a equipe do evento.

O Crossfit surgiu em 2000 através do ex-ginasta Greg Glassman nos Estados Unidos. E além de ser um esporte dinâmico é recomendado para todas as idades (a partir dos 3 anos).

Podem praticar tanto pessoas que querem somente desenvolver as habilidades físicas básicas do corpo de maneira completa e eficiente, como para atletas e paratletas que estão se preparando para uma competição.

         Foto: Reprodução
         A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém o atleta Diego sentado na sua cadeira de rodas mexendo uma barra de ferro que está no chão. Fim da descrição.
         Legenda: Danielle Sampaulo


A disputa do festival Monstar Games, ocorre no ginásio do Ibirapuera, em São Paulo, entre os dias 16/02 e 19/02. Dentro dessa etapa, existem duas categorias que são chamadas de SCALE e RX

Scale: para pessoas que acabaram de conhecer o esporte, treinam e praticam alguma atividade física;

RX: para atletas que já disputam competições oficiais e já possuem experiência com a modalidade;

Para inscrição, é necessário enviar os seguintes dados: nome completo, idade, tipo de lesão, endereço, contato, categoria de interesse e tamanho de camiseta para o e-mail coelho.d@gmail.com até amanhã, dia 20/01. Também é necessário pagar uma taxa de R$ 100,00 . Esse valor será revertido para o prêmio que será em dinheiro. 

Para saber mais sobre o festival, acesse: monstargames.com e para mais informações sobre as inscrições: coelho.d@gmail.com

Fonte: revistaincluir.com.br

Projeto Bibliotecas Acessíveis capacita bibliotecários

  
 Recursos de acessibilidade em bibliotecas serão tema de workshops

Ontem quinta-feira, 19 de janeiro, foi assinado na Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo (SEDPcD), um contrato para realização de uma série de workshops para bibliotecários. A ação será realizada pela organização social Mais Diferenças, que venceu pregão eletrônico para atender a parte do projeto “Bibliotecas Acessíveis”, da SEDPcD, aprovado pelo Fundo de Defesa dos Interesses Difusos (FID), da Secretaria de Justiça e Defesa da Cidadania do Estado de São Paulo.


Em 2016, a Secretaria promoveu concurso para selecionar projetos de bibliotecas públicas interessadas em receber equipamentos de tecnologia assistiva capazes de assegurar o acesso à leitura para pessoas com deficiência visual e motora. Ao todo, 55 municípios foram agraciados e 62 bibliotecas públicas do Estado de São Paulo ganharam kits de equipamentos acessíveis. A segunda parte do concurso é capacitar os bibliotecários para uso dos equipamentos.

Serão oito workshops para capacitação e treinamento de serviços bibliotecários realizados nos municípios de São Paulo, Sorocaba, Campinas, Itanhaém, Bauru, São José do Rio Preto, Sertãozinho e Presidente Prudente.
Os workshops terão 3 eixos temáticos: questões relacionadas à pessoa com deficiência; acessibilidade em bibliotecas; e tecnologia assistiva.


AACD promove ação solidária para ajudar no tratamento dos pacientes

                                       Foto: Divulgação
                                       A imagem está no formato retangular na vertical. Nela contém um banner no Food Truck Solidário. Na parte superior está o desenho de um food truck azul, com quadros com desenhos de lanches acima dele, ao lado, está escrito: 1º Food Truck Solidário dia 23 a 27/01. Abaixo estão as seguintes informações: O aniversário de SP está chegando e a AACD preparou uma supresa apetitosa para comemorar a data. Em comemoração aos 463 anos da Cidade, promovemos o 1º Food Truck Solidário, com uma oferta variada de lanches e sobremesas para você aproveitar o seu almoço e ainda ajudar a AACD. Serão várias opções de trucks para todos os gostos. Arretado: Comida Nordestina/ café santa Mônica. Dona Amora: Brigadeiros/ explosão de churros. Flashbone: Sushi e Temakis/ Robata Burger: Hamburguers. Rua A. Sanduíches com carne de porco/Shake Shake Milkshakes. Quando? Segunda, terça-feira e quinta-feira das 10h às 19, e sexta-feira das 10h às 18h. Onde? Estacionamento da AACD na esquina da Borges Lagoa e Ascendino Reis. Parte da renda será revertida para o tratamento dos pacientes AACD.
                                      Legenda: AACD promove 1º Food Truck Solidário

                                    
A cidade de São Paulo completa 463 anos na próxima quarta-feira, dia 25/01, e a Associação de Assistência à Criança Deficiente (AACD) irá promover uma ação: o 1º Food Truck Solidário a partir do dia 23/01 até dia 27/01 no estacionamento (exceto no feriado) de sua sede, na região do Ibirapuera, em São Paulo.

O evento, que será aberto ao público, haverá cardápio variado, onde o prato principal é a solidariedade, pois parte da venda dos lanches será revertida para custear os atendimentos da Instituição.

Além disso, as crianças da AACD participaram da produção de um vídeo especial em alusão ao aniversário de São Paulo. O material, que será publicado nas redes sociais na próxima semana, é um agradecimento da Instituição à cidade que há 67 anos recebeu a primeira unidade da AACD.

O horário de atendimento será das 10h às 19h, na segunda, terça e quinta-feira. Na sexta-feira, o atendimento será das 10h às 18h. Com preços que variam de R$ 4 a R$ 35, os pratos são uma ótima opção para a hora do almoço ou ainda para um lanche após o expediente.

Serão vários food trucks para todos os gostos: Arretado (comida nordestina), Café Santa Mônica, Donna Amora (brigadeiros gourmet), Fishbone (sushis e temakis), Master Churros, Rincón Chileno (empanadas), Robata Burguer (hambúrgueres), Rua A (sanduíches de carne de porco) e Shake Shake (milkshakes).


Atletas da bocha voltam cedo aos treinamentos para a temporada de 2017

Por CPB

Marcelo Regua/MPIX/CPB
Imagem
Dirceu Pinto competindo nos Jogos Rio2016.

Com objetivo de fazer uma boa temporada em 2017, atletas brasileiros da bocha voltaram aos treinos nesta semana. Enquanto alguns aproveitam os primeiros dias de treino para melhorar a parte física após as férias de fim de ano, outros, impulsionados pelos clubes, já têm que apurar técnica para competições nas próximas semanas.

Medalhista nos últimos três Jogos Paralímpicos, Dirceu Pinto retornou cedo às canchas. O atleta voltou aos treinos no terceiro dia de 2017, após uma pequena pausa para as festas de fim de ano. “Sempre faço essa programação. Por ser distrófico muscular, a bocha me serve também como tratamento para manter a condição física”, explica o atleta da classe BC4.

A APARN (Associação Paradesportiva do Rio Grande do Norte) e o CADEF (Centro de Apoio ao Deficiente) também reiniciaram as atividades. Com três sessões por semana, o objetivo das duas agremiações é brigar pelo pódio do Campeonato Regional Nordeste de Bocha 2017.

Segundo o professor Matheus Dantas, técnico das duas associações, os treinos começam no início de janeiro porque o torneio costuma ser um dos primeiros a serem realizados no ano, de acordo com o calendário oficial da ANDE.

O técnico também relatou que três kits de bocha foram roubados da arena, obrigando-o a adquirir novos kits para realizar os treinamentos. As bochas novas vieram de Portugal e ficaram dois meses presas na alfândega do Rio de Janeiro. A situação já está resolvida, segundo o treinador.

Outra associação que volta aos treinos já no início do ano é a equipe do Athlon, de São José dos Campos-SP. Os atletas Lucas Marvulle, Vitor Bedeschi e Maria de Fátima — todos da classe BC1 — vêm retomando aos poucos o ritmo normal de treinos. Segundo o treinador José Guardia, o momento é ideal para a aplicações de testes físicos, além de outras avaliações diversas que vão possibilitar o desenvolvimento personalizado dos treinamentos.

Com informações da associação Nacional de Desporto para Deficientes (ANDE).

Fonte: cpb.org.br

'Desafio do manequim' com pessoas com Parkinson quer conscientizar sobre doença - Veja o vídeo.

UOL Brasil - Com reportagem de Luís Barrucho, da BBC Brasil em Londres

   Resultado de imagem para Desafio do manequim' com pessoas com Parkinson


Uma ONG da Austrália fez um "desafio do manequim" com pessoas com mal de Parkinson para conscientizar sobre a doença.

O vídeo, que tem pouco menos de 1 minuto, foi divulgado em dezembro do ano passado pela Parkinson's NSW.

Participaram da iniciativa pacientes, empregados da ONG e funcionários da agência de publicidade envolvidas com o projeto, todos com sintomas de Mal de Parkinson.

Desde que foi publicado no YouTube, o vídeo já teve cerca de 500 mil visualizações.



Em entrevista à BBC Brasil, a diretora de marketing da ONG, Clare Audet, afirmou que objetivo foi "primeiramente criar maior consciência sobre o Mal de Parkinson e ressaltar que pessoas com a doença enfrentam desafios todos os dias".
"Também esperamos incentivar os espectadores a doar para nossa organização para que possamos continuar a oferecer os serviços de apoio gratuitos àqueles vivendo com Parkinson e seus entes queridos", afirma.

Como ainda não foi descoberta uma cura para o Mal de Parkinson, acrescenta Claire, "a campanha é muito importante já que precisamos continuar a aumentar a conscientização pública para que não haja complacência".

"Há alguns projetos de pesquisa interessantes, mas não há uma cura ainda para precisarmos continuar a apoiar aquelas pessoas vivendo com Parkinson agora".

"Recebemos financiamento mínimo do governo, então dependemos que o público faça doações para continuarmos nosso trabalho. Prestamos serviços de apoio gratuitos àqueles que vivem com Parkinson, como uma linha de apoio, grupos de apoio, educação, terapia e enfermagem".

Mais de 10 milhões de pessoas no mundo sofrem de Mal de Parkinson.