quarta-feira, 7 de julho de 2010

Empresas contratam pessoas por inteiro

"Pensar em inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho vai além de pensar em cotas, leis ou qualquer outra forma ou formula que garanta direitos"

Carla Patrícia Paiva

Pensar em inclusão da Pessoa com Deficiência no Mercado de Trabalho vai além de pensar em cotas, leis ou qualquer outra forma ou formula que garanta direitos. Pensar em inclusão significa pensar em cidadania, em participação social em igualdade, em integração e interação.

As Pessoas com Deficiência fazem parte da sociedade, pagam impostos e tem os mesmos deveres e direitos de todos os cidadãos brasileiros. A dificuldade está na aceitação dessas pessoas por parte da grande maioria. Na verdade penso que a questão está direcionada para o desconhecimento e o receio de que o PcD não produz e que necessita de ajuda para as atividades da vida diária.

Existem exemplos que demonstram o contrário, equipes que tinham receio e acabaram contratando um PcD e perceberam que o funcionário produz e que ainda sugere algumas mudanças que facilitam o trabalho dele e dos colegas. Por exemplo, ouvi o relato de um rapaz que foi trabalhar num setor que recebia os malotes da empresa. O rapaz tem deficiência em um dos braços que fica constantemente imobilizado, os colegas abriam os envelopes com uma tesoura, ele tinha dificuldade em segurar o envelope e cortar ao mesmo tempo... ele comprou uma guilhotina... e na verdade facilitou o trabalho de toda a equipe.

As pessoas precisam entender que quando vão contratar um funcionário/colaborador estão contratando uma pessoa e não uma mão ou uma perna ou um par de olhos ou de ouvidos.

Fonte:
Diário de Canoas
06/07/2010
Matéria postada no blog da APNEN: 07/07/2010

Nenhum comentário: