quinta-feira, 23 de fevereiro de 2012

Pilates auxilia na reabilitação de amputados


O Método Pilates é uma técnica de muita eficácia na reabilitação dos amputados após a colocação de prótese. Os exercícios globais trabalham a força, alongamento e melhora da sensibilidade do coto, a propriocepção, a reeducação da postura. Além do fortalecimento global da musculatura, o método auxiliará na adaptação do corpo à nova condição de amputado. Por tratar-se de aparelhos com design diferenciado e com exercícios bem diversificados, o processo de reabilitação torna-se um importante instrumento motivacional para o paciente.
De acordo com a Associação Brasileira de Pilates (AB Pilates), o Pilates apresenta vários benefícios que visam à prevenção, bem como a redução de riscos de lesões que possam vir a ocorrer, além de trazer um alívio às dores crônicas em especial os problemas de coluna. O método abrange o corpo de uma maneira uniforme, onde busca fortalecer, equilibrar e alongar a musculatura da coluna vertebral, trazendo um maior alinhamento e, em determinados casos, trazendo uma descompressão das tensões existentes, bem como gerar um alívio de pinçamentos e compressões dos disco o que gera um estímulo a circulação na região.
Entre as causas mais comuns de amputação de órgãos inferiores e superiores encontramos: traumatismos, tumores, problemas vasculares, infecções, problemas congênitos e outras. Nas faixas etárias superiores a 50 anos de idade destacam-se os problemas vasculares periféricos, com membros inferiores mais comprometidos, além daqueles causados por diabetes. Acidentes de trânsito e de trabalho são causas traumáticas significativas. Acidentes de trabalho causam em geral amputações dos membros superiores (dedos, mão e braço).
Nos casos de amputação deve haver uma avaliação ortopédica e/ou fisiátrica, que compreende o primeiro passo no sentido da reabilitação física, incluindo serviços prestados por fisioterapeutas, terapeutas ocupacionais e especialistas em próteses. No caso de próteses, estes especialistas utilizam recursos técnicos especiais que visam a substituição parcial de um membro. A reabilitação, no entanto, deve ser considerada muito mais ampla e ter início logo após – ou mesmo durante – a colocação de uma prótese.
Os atendimentos de Pilates voltados para a parte de reabilitação vão fazer uso de todos os acessórios dentre eles estão: bolas de diferentes dimensões, thera-bands, rolos, discos de propriocepção, bastão, magic circle, entre outros. Porém no início do processo de reabilitação se recomenda iniciar nos equipamentos de mecanoterapia, com o intuito de serem facilitadores para a execução dos movimentos, com a função de auxiliar a realização do movimento consciente ao estimular e desafiar a execução de forma tanto assistida como resistida, são eles: cadeira Combo ou Wanda, Cadillac ou Trapézio, Reformer, Wall Unit ou Unidade de Parede e o Ladder Barrel ou Baril. No solo, onde não se faz uso de nenhum tipo de equipamento ou acessórios, são mais recomendadas para pessoas que apresentam um domínio maior do seu corpo, pois são consideradas como exercícios mais avançados.
Além da reabilitação de amputados, o método Pilates é bastante recomendado na reabilitação na condromalácia patelar, artroses, artrite reumatóide, e em disfunções músculo-esqueléticas como síndrome do piriforme, escoliose, espondolistese, espondilólise, estenose do canal vertebral, espondilite anquilosante, dor crônica na coluna lombar, síndrome do impácto do ombro, fibromialgia, entre outros…
Os atendimentos devem ser sempre orientados por fisioterapeutas, que tem domínio na área de cinesiologia, bem como das patologias que estão tratando. Sempre lembrando que esse atendimento mais voltado para a reabilitação devera ser realizado em atendimentos individualizados para se alcançar um melhor desempenho na realização dos movimentos de forma mais correta e alinhada possível.
(Com informações de Revista Pilates e AB Pilates)
Veja nos vídeos abaixo exemplos de exercícios que utilizam princípios do Pilates, realizados sob orientação da fisioterapeuta do Centro Marian Weiss, Mônica Yamaoka:

Nenhum comentário: