domingo, 23 de outubro de 2016

Ações do Governo do Estado de São Paulo para a população idosa são apresentadas em Simpósio sobre os desafios do envelhecimento


Dra. Linamara Battistella ministra palestra sobre os desafios do envelhecimento

Entre os dias 20 e 22 de outubro, aconteceu o “IV Simpósio de Reabilitação Geriátrica – Fronteiras do Envelhecimento”, no Hospital Israelita Albert Einstein, em São Paulo. Realizado pela Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Albert Einstein, o evento visa discutir questões estratégicas referente às políticas públicas e aos tratamentos oferecidos ao paciente idoso.

Voltado para gestores da área da saúde, geriatras, fisiatras, neurologistas, clínicos, pesquisadores na área do envelhecimento e equipe multiprofissional que busquem um diferencial em seu atendimento, o evento reúne especialistas para debater as síndromes geriátricas, os desafios das equipes de saúde, os avanços científicos, as inovações tecnológicas e outros temas relevantes para a construção de modelos de saúde sustentáveis, com foco no envelhecimento saudável e nas práticas médicas e assistenciais.

Na manhã desta sexta-feira, 21 de outubro, a Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella, ministrou palestra sobre as ações do Governo do Estado de São Paulo para a população idosa, com o tema “Papel do Estado no engajamento do indivíduo em um cenário de envelhecimento”.

“Parte importante dos avanços alcançados para a população idosa deve-se ao movimento de luta das pessoas com deficiência que em São Paulo tem expressão fortíssima, que irradia para a Convenção da ONU sobre os Direitos da Pessoa com Deficiência, que foi espelhada nesse movimento que vai ao encontro das novas diretrizes da Organização Mundial da Saúde”, ressaltou a Dra. Linamara.

A Secretária destacou que a participação da faixa com mais de 65 anos avançou de 5,9%, em 2000, para 7,4%, em 2010. Números de 2011 revelam que a população idosa soma 23,5 milhões de brasileiros. De acordo com projeções das Nações Unidas, uma em cada 9 pessoas no mundo tem 60 anos ou mais, e estima-se um crescimento para 1 em cada 5 por volta de 2050.

                                     
                     Dra. Linamara Battistella ministra palestra sobre os desafios do envelhecimento

Além de dados gerais, Dra. Linamara apresentou as ações do Governo do Estado de São Paulo para o público idoso. O Estado de São Paulo possui 1.836 serviços na Rede Socioassistencial de Atendimento à População Idosa, direcionados ao atendimento dessa parcela da população.

Há uma estimativa de que cerca de 560 mil idosos sejam atendidos pela Rede, que oferece serviços por meio dos Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), Centros de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS), Centros de Convivência do Idoso (CCI), Centros Dia do Idoso (CDI), Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI) e Entidades Sociais.

Sobre as ações de inclusão dos idosos, como o programa VidAtiva – Academias para a Terceira Idade, Dra. Linamara explicou serem de grande importância: “é preciso levar o idoso para onde estão todas as pessoas”.

Em 2012, o Governo do Estado de São Paulo implantou o Programa SP Amigo do Idoso e o Selo Amigo do Idoso, com a proposta de ações intersecretariais voltadas à proteção, educação, saúde e participação da população idosa do Estado. Em curso estão sete ações: Programa VidAtiva, Jogos Regionais do Idoso (Esporte); Melhor Viagem (Turismo); Centros de Referência do Idoso (Desenvolvimento Social), Hospitais de Cuidados Continuados e Ambulatórios Especializados no Idoso (Saúde); Projeto Viva Mais: Praça de Exercício (FUSSESP); Universidade Aberta à Terceira Idade.

                     
         Dra. Linamara Battistella ministra palestra sobre os desafios do envelhecimento

O Selo foi criado com o objetivo de estimular os municípios e entidades públicas e da sociedade civil a implantarem ações referenciadas pelo Programa São Paulo Amigo do Idoso.

A Secretária também explicou como se dá o Fundo Estadual do Idoso, que visa financiar programas e ações voltadas à pessoa idosa, com o objetivo de assegurar seus direitos e criar condições para promover sua autonomia, inclusão e participação efetiva na sociedade. Segundo a Dra. Linamara, “é preciso identificar no idoso uma nova vertente de progresso e direitos humanos”. Como exemplo, ela citou o Programa Universidade Aberta à Terceira Idade – USP, no qual os idosos participam não só de atividades exclusivas, mas se integram às disciplinas dos cursos de graduação, ao lado dos alunos jovens.

Também foi apresentada a informação de que, desde 2008, o Desenho Universal foi implantado nos projetos das moradias de interesse social construídas pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano - CDHU, objetivando a criação de habitações acessíveis a todas as pessoas.

No transporte, além da gratuidade, foi destacada a importância da acessibilidade em meios de locomoção. Segundo a Secretária, tão importante quanto a saúde é o acesso e a mobilidade. “No transporte, temos 100% das estações e da frota do Metrô de São Paulo acessíveis e por conta de ser um espaço antigo, o transporte sobre trilhos da CPTM tem 47% do espaço acessível, mas 100% da frota”. 

                      
            Dra. Linamara Battistella participa de debate sobre os desafios do envelhecimento

Dra. Linamara concluiu sua explanação falando que as lições tiradas do Simpósio ajudarão a compor um programa mais amplo, cada vez mais objetivo e voltado às necessidades da pessoa idosa.

A Secretária finalizou dizendo ser possível envelhecer com saúde. “Nós estamos olhando para uma população que envelhece nos deixando um grande legado, de respeito e dignidade, em que se reconhece que só se pode envelhecer quando se cresce bem num país livre de mazelas, de questões sanitárias, de boa saúde e acima de tudo de boa convivência social”.

Fonte: pessoacomdeficiencia.sp.gov.br


Nenhum comentário: