quarta-feira, 26 de outubro de 2016

Cadeirante atleta de tênis de mesa fará Enem por vaga na faculdade

Raiza da Silva, de 19 anos, quer estudar relações internacionais. Ela diz que o esporte a ajuda a seguir com mais foco nos estudos.

Por G1

Raiza pratica tênis de mesa desde 2012 (Foto: Arquivo pessoal )
Raiza pratica tênis de mesa desde 2012 (Foto: Arquivo pessoal )

A atenção da estudante Raiza Francisca Farias Pereira da Silva, de 19 anos, que fará o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) pela segunda vez, ficará dividida a partir do início dos Jogos Paralímpicos Rio 2106, no dia 7 de setembro. Ela é cadeirante, atleta de tênis de mesa e diz que pretende acompanhar e torcer durante a competição.

Raiza, que já concluiu o ensino médio, agora se prepara para ingressar no ensino superior. Estuda em casa pela manhã, e, à tarde, vai para os treinos de tênis de mesa. Ela integra a equipe que representa a cidade de São Bernardo, no ABC, onde mora. Aos sábados, vai para o cursinho Maximize.

No ano passado, Raiza fez o Enem, mas diz que não conseguiu nota suficiente para disputar uma vaga na Universidade Federal do ABC, no curso de relações internacionais. “Faltou pontos na redação, mas agora estou fazendo cursinho e está me ajudando bastante.”

A estudante nasceu com uma deficiência e sempre usou cadeira de rodas. Ela conta que não teve nenhum problema de acessibilidade nas escolas em que estudou na rede pública, no cursinho ou nas provas do Enem.

“Espero que agora consiga ter uma boa nota para passar. Sonho em trabalhar em uma grande empresa e ter reconhecimento no mercado de trabalho.”

Ela diz que o esporte a ajuda a seguir nos estudos com mais disciplina porque ambas atividades exigem foco. “Jogo tênis desde 2012 e tenho planos de virar uma atleta olímpica.”

As provas
Neste ano, as provas serão realizadas nos dias 5 e 6 de novembro. No primeiro dia, sábado, o candidato terá 4 horas e 30 minutos para responder questões de ciências humanas e de ciências da natureza. No domingo, ele terá 5 horas e 30 minutos para as perguntas de linguagens, códigos e suas tecnologias, matemática e redação.

No total, o exame tem 8.627.194 inscritos, sendo 67.693 com algum tipo de deficiência. Destes, 21.584 declararam ter deficiência física.

Raiza estuda para o Enem porque quer cursar relações internacionais (Foto: Arquivo pessoal )
Raiza estuda para o Enem porque quer cursar relações internacionais (Foto: Arquivo pessoal)

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: