domingo, 23 de outubro de 2016

Empresa aérea realiza diálogo sobre acessibilidade e apresenta rampa móvel para facilitar embarque e desembarque

  
  Rampa móvel é lançada em companhia aérea para faciltiar embarque e desembarque

Na tarde desta terça-feira, 27 de setembro, aconteceu no Aeroporto de Congonhas, na sede da Gol Linhas Aéreas, o "2º Diálogo sobre Acessibilidade da Gol", que além de discutir o tema apresentou um novo equipamento que facilita o acesso das pessoas com deficiência à aeronave: uma rampa móvel que facilita o embarque e desembarque dos passageiros, não precisa de motor para funcionar e permite uso e acesso rápido por usuário de cadeiras de rodas, passageiros com malas ou pessoas com carrinhos de bebê de forma autônoma, segura e confortável.

O evento, realizado pela Gol Linhas Aéreas, contou com a presença da Secretária de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo, Dra. Linamara Rizzo Battistella, do vice-presidente de Operações da GOL, Sérgio Quito e do atleta paralímpico, Fernando Fernandes, entre outros.

A Secretária Dra. Linamara falou do desafio que encontra frente a Secretaria e diante da mudança do conceito de atitudes. “O desafio é incorporar mais tecnologia para garantir o acesso de todos. O grande desafio é trazer mais tecnologia para dentro do Estado com facilidade e com a possibilidade de todo mundo utilizar”.


                      
  Dra. Linamara, de salto alto, confere a usabilidade da rampa móvel da companhia aérea.

Dra. Linamara também ressaltou que a “acessibilidade é desafio permanente, não apenas para pessoas com deficiência, embora para elas seja mais emblemático, mais notório no mundo atual, garantir acesso aos equipamentos, à mobilidade urbana”. A Secretária destacou, ainda, que na questão das pessoas com deficiência, a acessibilidade arquitetônica significa garantir mais espaços amigáveis, onde se tenha desde a largura da porta e as rampas substituindo escadas, com grande impacto. “Temos que adotar o Desenho Universal dentro de todos os ambientes”, frisou, acrescentando que é preciso construir soluções que sirvam a todos, “trazer para dentro da sociedade, todos juntos, pessoas com e sem deficiência”.

O vice-presidente de Operações da Gol, Sergio Quito, destacou que quer marcar o início do uso da rampa para embarque de pessoas com deficiência. “É importante para a Gol priorizar o acesso das pessoas com algum tipo de deficiência. Temos um Comitê Multidisciplinar de Acessibilidade para que a Gol seja referência em acessibilidade para embarque de pessoas com deficiência no sistema aéreo”.

Quito explicou que, quando a operação com a rampa acessível é realizada no Boeing 737, o cliente consegue embarcar na aeronave e chegar até o seu assento sozinho e com sua própria cadeira de rodas, o que oferece "autonomia e independência" aos passageiros com deficiência.

“A cadeira do cliente só deve ser despachada junto com a bagagem quando é motorizada. Nesses casos, a tripulação utiliza a cadeira da companhia aérea para auxiliar o embarque do passageiro”, esclareceu.

                           
                   Fernando Fernandes sobe pela rampa em sua cadeira de rodas, com autonomia

O atleta e embaixador de acessibilidade da Gol, Fernando Fernandes, falou sobre acessibilidade como benefício para todos. “Acho que o maior legado que tem ficado depois dos Jogos Paralímpicos é enxergar o mundo de uma forma diferente, ver a acessibilidade não como barreira, afinal serve para todos. É preciso utilizar acessibilidade como algo que pode simplificar, tudo avança e a gente volta para o mais simples possível, como uma rampa que será útil e servirá perfeitamente”. O atleta finalizou com uma mensagem positiva. “Devemos nos unir para solucionar os problemas e tornar a vida mais fácil, acessível e feliz”.

Confira as fotos:  https://www.facebook.com/InclusaoSP/photos/?tab=album&album_id=1272623939435186


Fonte: pessoacomdeficiencia.sp.gov.br

Nenhum comentário: