segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Henrique encara nova vida através do surfe adaptado e vai a corrida solidária

Carioca, que perdeu os movimentos das pernas ao levar tiro e criou ONG para ajudar pessoas com deficiência ou pouca mobilidade, caminhará de muletas na prova 1P5P

Por Igor Christ Rio de Janeiro

EuAtleta Henrique SURF adaptado_690 (Foto: Eu Atleta | Arte | fotos: arquivo pessoal)
O carioca Henrique Saraiva encontrou no surfe adaptado um novo jeito de encarar a vida (Foto: Arquivo Pessoal)

A Corrida 1P5P Reserva, que tem o objetivo de arrecadar alimentos para doação, vai agitar a orla da zona sul do Rio, neste domingo. Um dos participantes confirmados é o carioca Henrique Saraiva. Há 18 anos, ele levou um tiro em um assalto, passou por um longo e duro processo de reabilitação e hoje anda com auxílio de muletas. Focado, Henrique segue com a vida esportiva.

Eu vou caminhar o percurso até onde eu conseguir, depois sigo de bicicleta elétrica. Tentei me preparar para andar 5km, mas exagerei e passei uma semana de cama com dores nas pernas. Então, vou dentro do meu limite - destacou Henrique, de 36 anos e especialista em marketing.

A força de vontade inspirou Henrique a criar a Adaptsurf, uma associação sem fins lucrativos que promove a inclusão no esporte (surfe) de pessoas com deficiência ou mobilidade reduzida. Tudo começou em 2001, quando ele, por insistência do surfista e amigo Marcos Sifu, experimentou a kneeboard, um modelo especial para surfar de joelhos. Henrique, que perdeu os movimentos das pernas, sentiu os benefícios da prática e decidiu passar isso adiante.


EuAtleta Henrique SURF adaptado_690 2 (Foto: Eu Atleta | Arte | fotos: arquivo pessoal)
Henrique em ação com a sua kneeboard: paixão pelo surfe inspira a criação de uma ONG (Foto: Arquivo Pessoal)

Sempre fui grato ao meu amigo que me convenceu a tentar o surfe adaptado. Quando surgiu a ideia de iniciar um projeto para multiplicar essa oportunidade a outras pessoas com deficiência não tive dúvidas de que essa era a minha missão. Hoje, vendo o quanto evoluímos ao longo desses dez anos, sinto um orgulho e uma satisfação imensurável - afirmou.

As aulas, gratuitas, ocorrem aos sábados, no Posto 2 da Praia da Barra da Tijuca, e também aos domingos, no Posto 11 da Praia do Leblon, sempre das 9h às 14h. A ONG tem pranchas e conta com o apoio de amigos, voluntários e empresas. Os interessados podem buscar informações na página do projeto no Facebook.

EuAtleta Henrique SURF adaptado_690 5. (Foto: Eu Atleta | Arte | fotos: arquivo pessoal)
A Adaptsurf conta com apoio de amigos, voluntários e empresas parceiras (Foto: Arquivo Pessoal)

Estar no mar é um terapia. Posso ir apenas para remar, num mar sem ondas, que vou fazer minha cabeça. Se pegar boas ondas é um bônus. O surfe possibilita que eu pratique esporte de igual para igual com meus amigos, como era antes do meu acidente. Isso me ajudou muito a elevar minha autoestima e encarar a vida com limitações. Na maioria das vezes nossos limites somos nós que impomos - afirmou.

                                EuAtleta Henrique SURF adaptado_310 (Foto: Eu Atleta | Arte | fotos: arquivo pessoal)
      Henrique vai participar da corrida solidária 1P5P, no domingo, no Rio (Foto: Arquivo Pessoal)

A ideia do 1P5P é converter cinco pratos de comida para cada peça comprada nas lojas da marca. Até agora, a campanha já viabilizou a entrega de mais de 2,5 milhões de refeições.

Abraço essa causa com todo amor do mundo e acho que todos deveriam fazer o mesmo. No mínimo, entender do que se trata, pegar o exemplo e ajudar de alguma forma. Mesmo que seja evitando o desperdício de comida em casa, mas não tem como ignorar esse tipo de ação e sair por aí dizendo que quer um mundo melhor - ressaltou.

Empolgado em fazer parte da prova deste domingo e também em poder mostrar como o esporte pode ajudar reconquistar a autoestima perdida, Henrique deixa uma mensagem solidária:

Precisamos sempre ver as coisas de forma positiva, isso nos permite achar soluções para problemas ate então insolúveis. Como disse uma aluna: não há limites quando a força de vontade é maior. Ajude alguém, algum projeto, alguma causa. É muito melhor ajudar do que ser ajudado. E, no final, você se sente o beneficiado - encerrou.

EuAtleta Henrique SURF adaptado_690 4 (Foto: Eu Atleta | Arte | fotos: arquivo pessoal)
O carioca mostra todo seu poder de superação dentro d´água com pensamento positivo (Foto: Arquivo Pessoal)

Fonte: globoesporte.globo.com

Nenhum comentário: