segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Engenheiro de São José cria próteses e doa para crianças com deficiência

Dispositivos são feitos em impressora 3D com materiais de plástico.As duas próteses feitas foram entregues a duas adolescentes

Do G1 Vale do Paraíba e Região - colaborou Leonardo Medeiros

 Engenheiro de São José cria próteses de mão e doa para crianças deficientes (Foto: Arquivo pessoal/Aloisio Mello)
Bruna, de camisa preta, posa para foto ao lado das amigas com a prótese (Foto: Arquivo pessoal/Aloisio Mello)

Um engenheiro de São José dos Campos, no interior de São Paulo, cria dispositivos auxiliares usados como próteses de mão e doa para crianças e adolescentes deficientes. Neste ano, foram feitas e entregues próteses para duas adolescentes de 14 anos.

Os dispositivos são feitos por uma impressora 3D em material de plástico com materiais auxiliares. Como os gastos de uma prótese médica são considerados elevados – cerca de R$ 10 mil, as crianças teriam que trocar de próteses constantemente conforme o corpo fosse evoluindo, até se tornarem adultas.

“A ideia surgiu há dois anos, quando eu pesquisava sobre impressoras 3D e encontrei uma organização internacional que produz e entrega próteses de mãos gratuitamente para pessoas necessitadas. Achei a ideia fantástica e decidi iniciar o projeto localmente”, contou Aloisio Mello.

Os materiais utilizados na impressão são arrecadados por voluntários. Os dispositivos levam cerca de 30 dias para serem produzidos e o objetivo do engenheiro é seguir com o projeto para ajudar mais pessoas.

                              Engenheiro de São José cria próteses de mão e doa para crianças deficientes (Foto: Arquivo pessoal/Aloisio Mello)
          Prótese é feita com material de plástico e materiais auxiliares (Foto: Arquivo pessoal/Aloisio Mello)

“A alegria das pessoas quando conseguem manusear algum objeto pela primeira vez é contagiante. Pode parecer simples para quem possui as duas mãos, mas para estes jovens é uma ajuda muito grande. Com o dispositivo, elas fazem atividades simples do dia a dia, mas não isso não substitui a prótese médica, é apenas uma adaptação”, afirmou o engenheiro. 

                           Engenheiro de São José cria próteses de mão e doa para crianças deficientes (Foto: Arquivo pessoal/Aloisio Mello)
              Amigas de Bruna ajudam na preparação da prótese (Foto: Arquivo pessoal/Aloisio Mello)

Prótese
As crianças e adolescentes são selecionadas por indicações ou pelo projeto. A próxima pessoa que receberá a prótese é um menino de seis anos de São Bernardo do Campo, que passa por um processo de medição do braço e deve receber o dispositivo até o fim do ano.

Para a estudante Bruna Silva - que foi a primeira a receber a prótese - o dispositivo tem auxiliado no seu dia a dia. “Faz muita diferença pra mim o uso da prótese, pois algumas atividades que eu não podia realizar com o outro braço agora eu consigo. São coisas que eu não fazia”, disse a estudante de 14 anos.

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: