quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Não era mentira! Prender o espirro pode te deixar surdo

Se você é daquelas pessoas que espirra baixinho, sem fazer muito alarde, já ouviu alguém dizer: "Coloca esse espirro para fora ou vai explodir os tímpanos! ". Pode até parecer loucura, mas você pode ficar surdo prendendo um espirro.

Bia Souza Do UOL, em São Paulo

  Shutterstock
   

Fechar o nariz para não espirrar não é recomendável. Um espirro bloqueado pode machucar o diafragma, romper um vaso sanguíneo na córnea, romper o tímpano e causar surdez e tontura. Existe a descrição de um paciente que teve duas vértebras deslocadas ao segurar um espirro."

Estelita Betti, otorrinolaringologista do Hospital Israelita Albert Einstein

Um estudo publicado em 2013 pela revista PLOS mostrou que um espirro pode impulsionar o ar para fora do canal nasal a cerca de 4,5 metros por segundo. Quando existe um bloqueio, como fechar o nariz com os dedos esse ar pode voltar e causar danos na tuba auditiva e na orelha interna.

Por que espirramos?
Durante a respiração, partículas estranhas são captadas por sensores dentro do nariz. Os corpos "estranhos" podem ser vírus, bactérias, ou apenas partículas de poeira. Os sensores avisam os cílios, pequenos fios cobertos por muco, que se alinham para expulsar os intrusos.

O nervo trigêmeo (nervo craniano responsável por transmitir mensagens da face para o cérebro) identifica a irritação e avisa o cérebro, que faz com que os músculos das costas e do abdômen se contraiam, provocando a saída do ar.

Algumas pessoas também sentem vontade de espirrar quando olham para a luz ou quando o sol bate no rosto. Isso porque o nervo óptico, responsável por mandar o sinal para fechar os olhos, também fica perto do trigêmeo, que entende como uma irritação na região nasal.

Vem mais um?
É comum que um espirro venha acompanhado de mais alguns, porque o organismo entende que ainda não expulsou todos os micro-organismos.

"O espirro não é sinal de doença, é uma defesa do organismo, mas pode ser fator de transmissão de gripes e resfriados, por carregar microorganismos na secreção expelida. Em situações como rinite alérgica é comum acontecer uma sequência de espirros, que chamamos de espirros em salva ", explica 

Alessandra Zanoni, médica otorrinolaringologista do Hospital Sírio Libanês.

Precisa fazer barulho?
O que define o som de um espirro são as características individuais. Não é porque alguém espirra emitindo menos som que está necessariamente segurando o espirro.

A saída de um espirro depende de fatores como a capacidade pulmonar e do tamanho da inspiração antes do espirro. Quanto mais ar, maior o barulho.
O barulho é individual. Cada pessoa tem uma relação com o espirro. É uma questão comportamental. O ideal é colocar a mão na frente para evitar que as partículas infectadas possam se espalhar. "

Ítalo Medeiros otoneurologista do Hospital das Clínicas da USP

Não existe uma resposta científica de como impedir um espirro, mas algumas "técnicas" parecem funcionar. "Existem formas leigas, como olhar para luz e morder a língua. Quando você desvia a atenção, inibe o espirro. Mas não recomendamos porque espirar é fisiológico e natural", explica Medeiros.

Os médicos também afirmam que algumas outras formas de evitar um espirro podem funcionar: esfregar o nariz, pressionar o lábio superior ou então forçar uma respiração profunda.

O espirro influencia as batidas do coração?
Já ouviu dizer que o coração pode deixar de bater durante o espirro? "Na verdade, o que pode acontecer no espirro é que o ritmo do coração desacelere um pouco. E isto se deve a inspiração profunda que as pessoas fazem antes de espirrar e também ao estímulo do nervo vago que ocorre durante o espirro", explica Betti.

Existem casos extremamente raros em que espirros podem alterar a frequência cardíaca ou provocar uma resposta exagerada do organismo, mas na maioria das vezes tratam-se de pessoas com alguma doença preexistente.

Nenhum comentário: