terça-feira, 22 de novembro de 2016

“Quero ser a primeira ginasta deficiente visual a levar o ouro nas Olimpíadas”

Adrianna Kenebrew nasceu com glaucoma, mas nunca deixou que sua deficiência atrapalhasse a paixão pela ginástica

      Adrianna Kenebrew  (Foto: facebook)
     Adrianna Kenebrew (Foto: facebook)

Se algo ainda lhe impede de persistir por um sonho, você precisa conhecer a história de Adrianna Kenebrew, de 11 anos. Natural de Houston, no Texas, ela nasceu com glaucoma, o que a deixou extremamente míope e sem visão periférica. Pra enxergar algumas sombras, ela usa uma lente de aumento especial, na escola usa uma lente molecular e sempre que vai competir, usa óculos de grau. Sim, ela compete ginástica olímpica há três anos e, em 2013, foi eleita Atleta Feminina do Ano no Texas.

Segundo a mãe da garota disse em entrevista ao Today.com, os treinadores apenas orientam como Adrianna deve ir pra chegar até o ponto final da quadra, mas ela não recebe qualquer outro tipo de assistência especial quando está saltando nas barras assimétricas, trave de equilíbrio e outros tipos de equipamentos. "O ginásio é um dos únicos lugares onde não existem acomodações reais para ela. Tudo é igual e ela fica na mesma trave de equilíbrio como todos os outros. Talvez seja por isso que ela ama o esporte". E pensa que Adrianna se intimida? Ao contrário: a garota já disse em entrevistas qual é o seu objetivo: “Quero ser a primeira ginasta deficiente visual a levar o ouro nas Olimpíadas de 2016”.

                                     Adrianna Kenebrew  (Foto: facebook)
                                     Adrianna Kenebrew (Foto: facebook)

Fonte: revistaglamour.globo.com

Nenhum comentário: