sábado, 26 de novembro de 2016

TJ-MT emperra tratamento de garota do Parque Cuiabá com doença degenerativa

Lorena Santos precisa da liberação da justiça para ter passagens para tratamento na Tailândia

Jonas Jozino

TJ-MT emperra tratamento de garota do Parque Cuiabá com doença degenerativa

Sempre com um largo sorriso no rosto, alegre, brincalhona, mesmo se locomovendo ora com a ajuda de um andador, ora em uma cadeira de rodas, a bela Lorena Santos, 23 anos, moradora do Parque Cuiabá, na zona Sul de Cuiabá, enfrenta a burocracia da justiça brasileira, que com sua lerdeza a impede de realizar um sonho: ir para Bangkok, na Tailândia, para um tratamento a partir de células tronco para retardar sua doença, dar-lhe condições de uma vida melhor e, quem sabe encontrar a cura. Lorena sofre de uma doença degenerativa hereditária fatal, que afeta os músculos de seu corpo.

Desde cedo, Lorena teve de aprender a conviver com esta doença. Viu seu pai, um agente da Polícia Civil, definir com a doença até a morte. Aos 17 anos ela começou a sentir os primeiros efeitos da doença considerada fatal, ao começar a perceber que perdia os movimentos das pernas e até da fala. Começava ai uma árdua luta pela vida.

Agora, aos 23 anos, com a faculdade trancada e com o emprego perdido, pois não consegue mais realizar tarefas simples, Lorena viu na possibilidade de um tratamento com células tronco de, se não encontrar a cura total, pelo menos melhorar a sua qualidade de vida. O problema é que o tratamento não é feito no Brasil. Só na Tailândia é onde terá a possibilidade de se tratar regenerando o estado da doença em até um ano e, a partir daí, retardar sua evolução.

O problema é que sem recursos financeiros, sem condições de trabalhar, a única possibilidade de conseguir realizar o tratamento é viajando para Bangkok, na Tailândia. Lorena e sua família entraram com uma ação junto ao Tribunal de Justiça de Mato Grosso solicitando que o governo do Estado pague as passagens – dela e da mãe Roberta – para que possa viajar e fazer o tratamento. Nem mesmo sendo levada pessoalmente ao Tribunal para mostrar seu quadro de saúde, a liberação do processo até agora foi realizado. A viagem está travada nas mãos da desembargadora Maria Aparecida Ribeiro, que é relatora do processo e que não definiu uma data para despachar o processo e dos desembargadores Marcio Vidal, Luiz Carlos da Costa, José Zuquim Nogueira, Vandymara Paiva Zanolo e Antônia Siqueira;.

Sabendo que para continuar vivendo é preciso realizar este tratamento com urgência, Lorena fez um post em desabafo tentando sensibilizar os desembargadores para a liberação do processo e pedindo a ajuda de amigos do Parque Cuiabá e de toda a Capital para conseguir os recursos necessários para custear a passagem, estadia, compra de remédios e despesas pessoais até que o processo seja liberado pela Justiça de Mato Grosso.

Em um dos post ela escreveu: “Pouco mais de um mês atrás fiz um apelo no facebook, mas meu processo foi para o colegiado. Sem prazo, sem data e sem previsão.. A doença não espera, senhores. Eu eu não posso mais esperar. Então venho humildemente pedir aos senhores desembargadores:

Relatora: Maria Aparecida Ribeiro;
Des. Marcio Vidal;
Des. Luiz Carlos da Costa;
Des. José Zuquim Nogueira;
Desa. Vandymara Paiva Zanolo;
Desa. Antônia Siqueira;

Preciso de urgência no caso.
"Saúde é direito de todos e dever do estado."
Amigos, mais uma vez venho pedir ajuda para compartilharem.
"Um sonho sonhado sozinho é um sonho, um sonho sonhado junto é realidade." 🙏🏻 — sentindo-se esperançosa.
Em outro post ela escreve:


Enquanto a justiça estadual mantém sua morosidade, quem quiser ajudar basta entrar em contado com Lorena através de sua página no facebook, onde é só clicar Lorena Santos ou nos fones ligar no (65) 93353005 Roberta ou (65) 93172217 Maria Gabriela  

Nenhum comentário: