terça-feira, 13 de dezembro de 2016

Brasil domina disputas por equipes na Copa Costa Rica de Tênis de Mesa

Por CPB



O Brasil foi um dos destaques da disputa por equipes da Copa Costa Rica de Tênis de Mesa, competição paralímpica. A delegação verde e amarela chegou ao lugar mais alto do pódio três vezes: na Classe 1 a 3, Classe 4 e 5 e Classe 6 a 8. O Brasil terminou o torneio com sete títulos (quatro individuais e três por equipe).

Na Classe 1 a 3, o time brasileiro formado por Hemerson Kovalski, Jean Carlo Padilha e Bruno Braga ficou em primeiro em um grupo que tinha as equipes da Costa Rica, formada por Geovanni Rodriguez e Erik Mauricio Nunez, e um combinado entre França e Argentina, que contou com Julien Michaud (FRA) e Guillermo Jose Sierra (ARG).

No primeiro confronto, o Brasil venceu o combinado França/Argentina por 2 a 0. Nas duplas, Hemerson Kovalski e Jean Carlo Padilha derrotaram Julien Michaud e Guillermo Jose Sierra por 3 sets a 0 (11/9; 11/6 e 11/6). No individual, Jean Carlo passou por Julien Michaud por 3 a 1 (11/9; 12/10; 8/11 e 11/6). No duelo com a Costa Rica, novamente vitória por 2 a 0. Na partida de duplas, Hemerson Kovalski e Jean Carlos de Oliveira bateram Geovanni Rodriguez e Erik Mauricio Nunez por 3 sets a 0 (11/4; 11/8 e 11/3). No individual, Jean Carlos derrotou Erik Mauricio por 3 sets a 0 (11/1; 11/1 e 11/4).

O time verde e amarelo da Classe 4 e 5, que tinha Eziquiel Babes, Alexandre Ank e Ecildo Oliveira, foi o melhor em um grupo que contou com mais uma equipe brasileira, uma da Costa Rica e outra formada por atletas brasileiros e de Trinidad e Tobago. O time Brasil 2 tinha Ivanildo Freitas e Fabio Carlos Santos, enquanto o da Costa Rica, Sebastian Chaves e Freddy Jose Baltodano. Já o combinado Brasil/Trinidad e Tobago era Renato Santos e Dennis La Rose.

Na disputa entre Brasil 1 e o combinado Brasil/Trinidad e Tobago, melhor para a equipe 100% brasileira. Nas duplas, Eziquiel Babes e Alexandre Ank bateram Renato Santos e Dennis La Rose por 3 sets a 2 (11/5; 6/11; 11/5; 6/11 e 11/4). No individual, Ank venceu La Rose por 3 sets a 0 (11/4; 11/5 e 11/7). Contra a Costa Rica, triunfo pelo mesmo placar. Nas duplas, Alexandre Ank e Ecildo de Oliveira derrotaram Sebastian Chaves e Freddy Jose Baltodano por 3 a 0 (11/1; 11/2 e 11/6), enquanto no individual, Ecildo de Oliveira venceu Chaves por 3 a 0 (11/1; 11/1 e 11/5).

Para garantir o título, o Brasil 1 teve justamente o Brasil 2 pela frente e, diante de um confronto muito equilibrado, conseguiu a vitória por 2 a 0. No confronto entre as duplas, Ezequiel e Ank derrotaram Ivanildo Freitas e Fabio Carlos Santos por 3 sets a 2 (11/6; 11/6; 9/11; 11/13 e 11/8). No individual, Ezequiel derrotou Ivanildo também por 3 sets a 2 (11/8; 2/11; 11/13; 11/6 e 11/8).

Já na Classe 6 a 8, o Brasil foi o melhor em um grupo que tinha duas equipes da Costa Rica, um combinado Chile/Brasil e um combinado Costa Rica/Estados Unidos. Contra a equipe Costa Rica 1, que tinha Carlos Araya e Andres Ramirez, o time brasileiro, com Nilson Oliveira e Luiz Henrique Medina (Kaike), venceu por 2 a 0. Na partida de duplas, 3 sets a 0 (11/5; 11/3 e 11/4), enquanto, no individual, Nilson bateu Andres pelo mesmo placar (11/6; 11/7 e 11/5).

Diante da Costa Rica 2, com Steven Chinchilla e Hernan Rojas, um pouco mais de dificuldade, mas o Brasil triunfou por 2 a 1. Nas duplas, vitória verde e amarela por 3 a 2 (10/12; 13/11; 6/11; 11/9 e 11/2). No primeiro jogo individual, Nilson perdeu para Chinchilla por 3 sets a 2 (11/9; 6/11; 11/6; 9/11 e 11/7), mas Kaike derrotou Rojas por 3 sets a 2 (11/1; 11/13; 5/11; 11/5 e 11/2), garantindo os pontos brasileiros.

No duelo contra o combinado Costa Rica/Estados Unidos, com Marco Makkar (USA) e Allan Madrigal (CRC), vitória por 2 a 0. Nas duplas, os brasileiros venceram por 3 a 0 (11/5; 11/4 e 11/4) e, no individual, Kaike venceu Makkar por 3 a 1 (12/10; 13/11; 6/11 e 11/5). Quando teve o combinado Chile/Brasil, Nicolas Lorca (CHI) e Alexon Piccolin (BRA), vitória por 2 a 1. Nas duplas, triunfo por 3 a 1 (11/6; 11/13; 11/7 e 11/9). No individual, Kaike perdeu para o chileno por 3 a 0 (11/6; 11/9 e 1/6), mas Nilson bateu Piccolin por 3 a 0 (11/3; 11/8 e 11/4).

Com informações da Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM).

Fonte: cpb.org.br

Nenhum comentário: