domingo, 18 de dezembro de 2016

Doria "copia" Covas e promete mutirão para adaptar calçadas a deficientes

O programa incluirá a construção de rampas de acesso e instalação de piso tátil

DA AFP 

                               
Mutirão ocorrerá em todos os finais de semana durante os quatro anos de mandato de Doria. (Foto: Divulgação)

O prefeito eleito de São Paulo, João Doria (PSDB), promete um mutirão para a recuperação de calçadas da cidade a fim de melhorar a acessibilidade para pessoas com deficiência. Para isso, a administração diz contar com mão de obra da própria população.

O anúncio foi feito após reunião com futuros secretários e prefeitos regionais (os antigos subprefeitos) neste sábado (17). De acordo com o futuro secretário de Subprefeituras, Bruno Covas, o programa deve começar na primeira quinzena no extremo leste.

Segundo Covas, a ideia é inspirada em mutirões de recuperação de guias e sarjetas feitas pelo ex-prefeito e ex-governador Mario Covas (PSDB), que é avô do secretário e morreu em 2001. Doria definiu o bairro Itaim Paulista para início do projeto, o mesmo onde o projeto começou, no mandato de Covas, de 1983 a 1985.

Conforme a Folha mostrou neste sábado, a futura gestão planeja também fazer blitze para vigiar vagas para carros reservadas a idosos e deficientes.

"Estamos buscando parcerias de empresas que possam colaborar com material, e a prefeitura entrará com a parte técnica. Serão reformas necessárias para as calçadas, gerando mais acessibilidade", disse Covas. Para isso, diz, moradores serão chamados para colaborar. Questionado de que maneira isso aconteceria, respondeu: "Com mão de obra, como era feito nos mutirões de guias e sarjetas [da gestão do prefeito Mário Covas]".

O programa incluirá a construção de rampas de acesso e instalação de piso tátil. Além disso, a prefeitura prevê mudanças no funcionamento dos semáforos para tentar melhorar as condições do pedestre. Uma reclamação muito frequente é o pouco tempo para travessia a pé em grandes vias, muitos deles insuficientes para atravessar toda a via.

De acordo com dados da prefeitura, um terço das viagens na cidade são feitas a pé. Durante a campanha eleitoral, Doria disse que iria acabar com a secretaria da Pessoa com Deficiência. Voltou atrás após ser alvo de duras críticas de ativistas. Agora, tenta emplacar uma série de projetos a pessoas nessa situação.

Cidade Linda

O prefeito começará no dia 2 de janeiro de 2017 o projeto que ele batizou de Cidade Linda. Nos mesmo moldes da operação Belezura, criada por Marta Suplicy (PMDB), prefeita entre 2001 e 2004, quando era do PT. Trata-se de um plano de limpeza da cidade envolvendo várias secretarias e subprefeitura.

"Estabelecemos 28 itens de atuação, desde recapeamento, requalificação de calçadas, jardins e canteiros a troca de iluminação, eliminação de pichações e recuperação de bens da prefeitura", disse Doria.

A operação começará na avenida 9 de Julho. Mas já estão programadas operações para as avenidas Paulista, 23 de maio (região central), Santo Amaro (zona sul) para janeiro. Em fevereiro, ocorrerão na Belmira Marin (extremo sul) e a Marechal Tito (extremo leste).

Segundo Doria, a medida ocorrerá em todos os finais de semana durante os quatro anos de mandato.


Nenhum comentário: