terça-feira, 27 de dezembro de 2016

Estudo revela que o tempo de viagem através de transportes públicos aumentam em 60%

las-personas-con-discapacidad-visual-en-buses-del-transporte-publico-registraron-un-80-mas-en-sus-tiempos-de-viajes
As pessoas com deficiências visuais em autocarros de transportes públicos registrados 80% mais em seus tempos de viagem

Um estudo realizado pelo Departamento de Engenharia de Transportes e Logística da Universidade Católica (UC), intitulado como a primeira medição da Acessibilidade Universal em Transporte Público Santiago determinou que o tempo de viagem das pessoas com deficiência são até 60% média geral.

De acordo com a análise, isso significa que os utilizadores deficientes atrasou 25 minutos de tempo em relação a usuários não-deficientes, especialmente em tempos de fluxo de tráfego elevado.

Para obter esses resultados, a pesquisa foi baseada na participação de 40 voluntários com e sem deficiência, que se mudou a partir de diferentes pontos de Santiago, durante a hora do rush da manhã para um lugar em comum: o Controle de Tráfego Unidade de Operações ( UOCT), localizado em Santa Beatriz 319, Providencia.

Os passeios foram realizadas principalmente por ônibus, metrô, carro e bicicleta curso foi considerado e alguns só cadeira de rodas.

Durante o deslocamento, os participantes medidos o tempo de transferência a partir do ponto de partida para UOCT. Além disso, cada pessoa com deficiência relataram os principais problemas que impediam a sua rota, como espaços preferenciais ocupada em ônibus e estacionamentos e calçadas em condições precárias em um log.

As pessoas com deficiências visuais em autocarros de transportes públicos registrados 80% mais em seus tempos de viagem, o equivalente a um adicional de 40 minutos. E Metro, atingiu 35%, cerca de 10 minutos em média.

Enquanto isso, as pessoas com deficiência, em autocarros de transportes públicos 75% registrados em seus tempos de viagem, ou seja, mais 30 minutos. De carro, entretanto, que chegou a 65%, cerca de 20 minutos em média.

Fontes: bichile - turismoadaptado.wordpress.com

Nenhum comentário: