sexta-feira, 23 de dezembro de 2016

Ex-marido acusa Silvia Abravanel de descumprir ordem judicial: "Estou há nove meses sem ver minha filha"

Ex-marido acusa Silvia Abravanel de descumprir ordem judicial: "Estou há nove meses sem ver minha filha"

Juliana Moraes, do R7


Murilo Abbas com a filha, Luana Arquivo Pessoal

Murilo Abbas acusa a ex-mulher, Silvia Abravanel, de descumprir uma determinação judicial. Ao R7, o jornalista declarou que a filha de Silvio Santos impede que ele veja a própria filha, Luana, de 18 anos.

— A Silvia está descumprindo uma ordem judicial há nove meses. Já venho lutando com isso há muito tempo. Ontem [terça-feira, 20] estive na casa dela com a polícia. As babás e os funcionários disseram que só vão entregar a Luana diante de um mandato de segurança. Estou vendo de que forma a gente pode resolver isso, mas estou há nove meses sem ver a minha filha.

O casamento do jornalista e da herdeira do Silvio Santos chegou ao fim em 2002, quando a filha deles tinha apenas três anos. Murilo garante que tem o direito – assegurado pela Justiça – de ficar com a filha a cada 15 dias.

— Em agosto, entrei com o meu advogado para a gente rever as visitas e o juiz determinou que ela cumprisse o nosso acordo, que diz que a cada 15 dias a Luana vem para a minha casa. Sempre fiquei com a Luana. A gente se separou e ela tinha três anos e já fico com ela há 15 anos. Ela nunca ficou tanto tempo longe de mim.

Luana é portadora da síndrome de galactosemia [doença genética que incapacita o organismo de metabolizar a galactose, o açúcar típico do leite], além de um déficit neurológico provocado por atraso no parto. Segundo ele, a preocupação maior é com o conforto da filha, que precisa de tratamento especial.

— Moro em Atibaia, lá ela tem todo o conforto, nunca faltou nada. Estou passando esse momento difícil, mas fui maltratado pela Silvia, foi bem complicado. Resolvi expor o caso porque estou precisando de ajuda para ver a minha filha. Estou preocupado porque não consigo mais vê-la, tem aquela coisa do carinho, do afeto. Estou bastante desesperado. Não esperava que a Silvia fosse tomar essa atitude tão imatura. Se tem algo contra mim, não desconta na menina. Vem e fala comigo.

Murilo alega não saber o motivo para a proibição.

                                       
                                       Arquivo Pessoal

— Desde abril ela não me deixa ver. Quando fui buscá-la no meu fim de semana, as funcionárias me atenderam e falaram não iria mais vê-la. Fiz uns 3 contatos com a Silvia por telefone e percebi que ela estava me enrolando. Foi quando entrei com essa ação. Ela simplesmente me proíbe de ter contato com a Luana, ligou na escola dizendo que não posso me aproximar da minha filha. Fiz isso de não me aproximar por educação, mas não consigo mais ficar sem vê-la.

O jornalista acredita que a atitude da ex-mulher não tem ligação com o não pagamento da pensão alimentícia.

— Não pago pensão para a Luana desde o princípio, porque ela [Silvia] abriu mão. Todos os funcionários, as babás, sempre souberam. Tenho, inclusive, uma carta assinada por ela abrindo mão da pensão. Talvez ela tenha pensado que não entraria na Justiça por causa disso da pensão, mas acho que não tem nada a ver.

Márcio Bragion, advogado de Murilo, declarou que se encontrou com o advogado de Silvia para tentar um acordo. Porém, a reunião não obteve sucesso.

— O processo, na verdade, não se trata só de visitas. Existe um pedido do Murilo para que ele diminua a pensão. Ele não vê a filha desde 7 de abril. O processo não corre em segredo de Justiça. Pedimos para que fossem reestabelecidas as visitas e uma revisão de alimentos. Na segunda-feira (19), estive no escrito dos advogados dela e tentamos celebrar um acordo, mas ela se recusou inclusive a cumprir o que tinha dito. Ela mudou de ideia e não permite a visita.

De acordo com o Dr. Márcio, Silvia contestou a ação movida por ele dizendo que Murilo poderia ver a filha, desde que estivesse acompanhado por uma profissional de saúde.

— Na contestação, a Silvia respondeu que não faz nenhuma oposição às visitas. Contudo, elas [visitas] deveriam ser feitas com o auxílio de uma cuidadora. Em réplica, disse que o Murilo não se opõe a isso, mas agora nem assim ela quer autorizar a visita. Achei que não resolveríamos a questão da revisão de alimentos, nem a do atraso na pensão. Mas que sairíamos de lá com as visitas acertadas. 

                                            
                                            Boletim de ocorrência de Murilo Arquivo Pessoal

Ainda segundo o advogado, a proibição de Silvia configura alienação parental, situação em que a mãe ou o pai de uma criança tenta fazer com que ela rompa os laços afetivos com o outro genitor.

— As visitas configuram, inclusive, alienação parental. A Luana hoje é maior de idade e em virtude da maioridade, ela teria que ser declarada incapaz e o processo de interdição ainda não se deu.

Murilo fez um boletim de ocorrência – não criminal – para deixar registrado que não consegue ver a filha.

— Somos bastante maduros, não quero incomodar ninguém. A gente consegue resolver de maneira adulta. Sempre tive muita dificuldade de ver a Luana, mas agora não estou aguentando mais. Tenho certeza de que ela também está com saudade de mim.

O jornalista garante que sempre foi um pai presente e que a filha sempre confiou nele.

— Nunca fiz nada contra a Luana, nunca maltratei, nunca fiz nada que pudesse fazer mal a ela, sempre a acompanhei nas terapias. Ela toma alguns remédios e sempre dei tudo certinho. Aqui ela é cuidada, a gente corta o cabelo dela, eu corto as unhas dela. Tem uma coisa de confiança. Sempre fui muito presente, minha família está de prova.

Procurada pela reportagem do R7, a assessoria de Silvia Abravanel declarou que não vai emitir comentários sobre o assunto.

— Por se tratar de segredo de Justiça, nem ela [Silvia] nem a assessoria dela vão se manifestar.



Nenhum comentário: