quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Petrúcio Ferreira comemora medalhas paralímpicas, mas foca em conquista inédita em 2017

Por CPB

Marcio Rodrigues/CPB/MPIX
Imagem

Três medalhas em três provas. Petrúcio Ferreira não poderia ter saído mais satisfeito de sua primeira edição de Jogos Paralímpicos, no Rio 2016. Mas o velocista, natural de São José do Brejo do Cruz, Paraíba, já tem a sua meta para o ano que vem: conquistar as inéditas medalhas em Mundiais de Atletismo, que lhe escaparam em 2015.

Em 2016, sua performance na Paralimpíada lhe rendeu o prêmio de melhor atleta do atletismo. Ele ainda concorre à honraria de melhor atleta da temporada. O resultado será revelado dia 7 de dezembro, no Prêmio Paralímpicos.

Petrúcio faturou na Cidade Maravilhosa a medalha de ouro nos 100m da classe T47, para amputados de braço. Mais: estabeleceu o recorde mundial da prova, em 10s57. Em seguida, compôs o revezamento 4x100m T42-47 e, ao lado de Alan Fonteles, Renato Nunes e Yohansson do Nascimento, ficou com a prata. Três dias mais tarde, voltou à pista do Estádio Olímpico do Rio de Janeiro e foi novamente vice-campeão paralímpico, agora nos 400m.

O sucesso na Paralimpíada não tirou sua fome por novas conquistas. Em 2015, Petrúcio teve um dos momentos mais tristes de sua carreira, quando uma lesão no músculo da coxa direita o tirou de ação na semana anterior do Mundial da modalidade, em Doha, no Catar. Seu foco já está em apagar esta lembrança ruim da memória.

"Minha meta para 2017 é focar nos treinos, pois haverá o Mundial de Londres e quero muito medalhar, subir ao pódio novamente, já que me machuquei e não pude estar em Doha. Então o que eu penso, não só para 2017, mas para os próximos anos, é manter o foco", disse o velocista, de apenas 19 anos.

"Estou bastante feliz por ter sido premiado como o melhor atleta do atletismo da temporada de 2016. Fico muito contente mesmo, porque posso dizer que tudo que eu treinei, suei, foi recompensado. Pude representar meu país na minha casa, conquistar três medalhas e, no fim da temporada, ser reconhecido como o melhor do atletismo. É uma felicidade imensa", completou o atleta.

O Mundial de Atletismo Paralímpico será disputado entre os dias 14 e 23 de julho, em Londres, na Grã-Bretanha.

Assessoria de Imprensa do Comitê Paralímpico Brasileiro (imp@cpb.org.br)

Fonte: cpb.org.br

Nenhum comentário: