segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Cadeirantes relatam drama da falta de acessibilidade em calçadas de Macapá

Carros estacionados, buracos e falta de rampas são alguns dos problemas. Prefeitura diz que reformas são planejadas para dar acesso a todos.

Do G1 AP com informações da Rede Amazônica no Amapá 

   Cadeirante, obstáculos, calçadas, falta de acessibilidade, Macapá, Amapá (Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)
  Cadeirantes se arriscam em ruas por conta dos obstáculos (Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)

Buracos em calçadas e carros estacionados irregularmente, atrapalhando o passeio público, estão entre os principais problemas enfrentados pelos cadeirantes nas vias de Macapá.

A prefeitura informou que reformas em passeios públicos da cidade são planejadas para dar acesso às pessoas com deficiência.

A cadeirante Maria de Fátima mora no bairro Perpétuo Socorro, na Zona Leste da capital. Ela reclama que quase não tem condições de sair de casa, por causa da diferença na altura da calçada para a rua. O bairro tem vias cheias de buracos e algumas não têm asfalto, o que dificulta ainda mais a locomoção da mulher.

“Eu não tenho condições de sair na rua diante de tantos obstáculos, não tenho os movimentos das minhas pernas. É muito ruim. Tem tantos buracos na frente de casa”, lamentou Maria de Fátima.

   Cadeirante, obstáculos, calçadas, falta de acessibilidade, Macapá, Amapá (Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)
Maria de Fátima reclama da altura da calçada em relação a rua (Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)

Até para frequentar a Associação dos Deficientes Físicos do Amapá (ADFAP), Fernando Oliveira disse enfrentar dificuldades. No bairro Laguinho, Zona Central, a calçada onde fica o prédio da associação é cheia de obstáculos e quem trafega deve ter atenção para não sofrer acidentes, segundo ele.

“A calçada está cheia de obstáculos, algumas falhas e buracos. Nas esquinas não têm rampas. Pela cidade há situações péssimas de calçada que não tem condições de cadeirantes transitar, nem mulheres com carrinhos de bebê e pessoas com dificuldades de locomoção”, destacou Oliveira.

   Cadeirante, obstáculos, calçadas, falta de acessibilidade, Macapá, Amapá (Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)
  Cadeirante Fernando Oliveira destaca a falta de rampas (Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)

Para o presidente da ADFAP, Rogério Santos, além da falta de acessibilidade, os cadeirantes reclamam da falta de sensibilidade das pessoas em relação a construção de calçadas e a falta de padronização na cidade. Em alguns casos, o deficiente conta que se arrisca nas ruas por causa dos obstáculos nas calçadas.

                            Cadeirante, obstáculos, calçadas, falta de acessibilidade, Macapá, Amapá (Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)
                 Presidente da ADFAP, Rogério Santos(Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)

“Macapá é muito grande. Infelizmente, a falta de educação do povo em não respeitar os estacionamentos e na construção da própria calçada, que faz do tamanho, altura e largura que quer. Isso compromete muito o tráfego, principalmente, para as pessoas que têm deficiências e se locomovem com cadeiras de rodas. Não há um padrão de calçada”, lamentou.

Rogério Santos pede o cumprimento da lei que ampara o deficiente. Ele também espera que a população colabore para a melhoria no acesso do cadeirante.

“A lei está sendo desrespeitada nesse ponto. Infelizmente, a população ainda não tem sensibilidade para ver que vivemos em um mundo que é para todos, e nós, cadeirantes, somos lesados no nosso direito de ir e vir”, falou.

  Cadeirante, obstáculos, calçadas, falta de acessibilidade, Macapá, Amapá (Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)
 Carro estacionado sobre a calçada impede a passagem (Foto: Reprodução/Rede Amazônica no Amapá)

Fonte: g1.globo.com


Nenhum comentário: