sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

São Paulo destina R$ 10 milhões para projetos relacionados ao idoso

por Mariza Tavares

Imagem Internet/Ilustrativa
Resultado de imagem para projetos relacionados ao idoso

A fisioterapeuta Claudia Fló se desdobra em várias frentes e costuma dizer que nunca esteve tão ocupada como agora, quando acabou de completar 60 anos. Além de presidente do Departamento de Gerontologia da Sociedade Brasileira de Geriatria e Gerontologia, assumiu a presidência do Conselho Estadual do Idoso de São Paulo (CEI-SP), e tem boas novidades para compartilhar. A principal delas: o conselho tem um fundo com R$ 10 milhões disponíveis para projetos voltados para a terceira idade. Qualquer empresa ou pessoa física pode fazer doações, mas há um aporte das estatais paulistas garantido por lei.

Desde que assumiu o cargo, em agosto do ano passado, Claudia tinha como objetivo lançar o edital que viabilizaria a utilização desses recursos. Foram escolhidos oito eixos para nortear projetos que vão da inclusão digital à inserção no mercado de trabalho, do mapeamento e erradicação da violência ao fortalecimento familiar dos cuidados com os idosos, e as propostas têm que ser entregues até março. Ela diz que tem grandes expectativas em relação ao que pode ser feito: “Teremos a chance de, por exemplo, financiar pesquisas que levantem dados sobre os idosos, de violência a hábitos de saúde, ou de capacitar mais conselheiros ”. O número de conselhos e fundos municipais triplicou nos últimos anos no estado de São Paulo, que também tem o projeto SP Amigo do Idoso. “O mais importante é ampliar as possibilidades de os mais velhos serem ouvidos e, sempre que possível, atendidos", afirma.

Em abril também será realizado o 10º Congresso Paulista de Geriatria e Gerontologia, que ocorre a cada dois anos. Entre as atrações internacionais, a doutora Janet Lord, diretora do Instituto de Inflamação e Envelhecimento na Escola de Medicina da Universidade de Birmingham (Reino Unido), cuja principal linha de pesquisa é o efeito do envelhecimento na função imunológica e seu impacto nos processos inflamatórios; e o doutor John Morley, professor e diretor da Divisão de Geriatria e da Divisão de Endocrinologia da Escola de Medicina da Universidade de Saint Louis, EUA, reconhecido por seus estudos sobre envelhecimento e sexualidade.

Fonte: g1.globo.com  - Imagem Internet/Ilustrativa

Nenhum comentário: