quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Representantes do Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro visitam Memorial da Inclusão

Durante a tarde desta segunda-feira, 20 de fevereiro, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo recebeu representantes do Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro, que visitaram o Memorial da Inclusão.


Representantes do CTPB observam exposição da coordenadora do Memorial da Inclusão, Elza Ambrosio.

Marcos Garcia e Caroline Sebastião, ambos da equipe de Operações do CT Paraolímpico Brasileiro, fizeram uma imersão no universo das pessoas com deficiência. O Memorial da Inclusão traça uma narrativa histórica sobre o movimento social da pessoa com deficiência, com ênfase nos acontecimentos que marcaram o Brasil e o mundo no final da década de 1970 e durante as décadas de 1980/90.


Paineis do Memorial da Inclusão são explicados em visita.

Segundo Garcia, o objetivo da visita foi buscar materiais e mais informações sobre o segmento das pessoas com deficiência para enriquecer o acervo, e no futuro, possibilitar que o CT Paraolímpico Brasileiro também disponibilize informações aos visitantes.


A Secretária Dra. Linamara Battistella entregou a Convenção da ONU para os representantes do CTPB

Para o Gerente de Operações do CT Paraolímpico, “a ideia é introduzir materiais e atividades que ajudem a divulgar informações e reduzir o preconceito com relação a pessoa com deficiência. Eu acredito que se as pessoas tiverem o conhecimento, a tendência é que tenham menos preconceito”.


A diversidade humana nos relacionamentos sociais é citada pela Secretária Dra. Linamara

O espaço do Memorial da Inclusão contempla, por meio de fotografias, documentos, manuscritos, áudios e vídeos, a história sócio-cultural e política do movimento de luta das pessoas com deficiência, iniciado nos anos de 1980. Conta com 12 ambientes compostos por painéis com logotipia recortada e aplicada em alto relevo, assim como piso tátil e tubos sonoros que descrevem o conteúdo dos painéis às pessoas com deficiência visual.


Visitantes observam exposição sobre os painéis.

A visita foi monitorada pela coordenadora do Memorial, Elza Ambrosio e contou também com a rápida participação da Secretária de Estado, Dra. Linamara Rizzo Battistella, que enfatizou a importância da diversidade nas relações humanas e entregou aos visitantes a Convenção sobre os Direitos das Pessoas com Deficiência, documento aprovado pela ONU, em 2006.

Elza Ambrosio, coordenadora da Secretaria, expõe maquete e paineis aos representantes do CTPB.

Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro
O Centro é fruto de uma parceria do Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, com o Governo Federal, pelo Ministério do Esporte, e o Comitê Paralímpico Brasileiro. As obras do CTPB foram iniciadas em 2013 e foi inaugurado em 2016, antes dos Jogos Paralímpicos Rio 2016.

Referência internacional em treinamento e avaliação dos atletas paradesportivos, o Centro de Treinamento tem como objetivo fomentar o paradesporto brasileiro, criando condições para que os atletas se destaquem nas competições, dando ênfase às técnicas avançadas e novas tecnologias.


Entrada principal do Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro

As 15 modalidades que o CT contempla são: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, natação, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, futebol de 7, goalball, halterofilismo, judô, rúgbi, tênis, tênis em cadeira de rodas, triatlo e voleibol sentado.

Ele está dividido em 11 setores que englobam áreas esportivas de treinamento, hotel, centro de convenções, laboratórios, condicionamento físico e fisioterapia.


Atleta paralímpico treina na pista do Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro

A área construída está projetada em 95 mil metros quadrados. O local abrange treinamentos, competições e intercâmbios de atletas e seleções, preparação física, cursos para técnicos, árbitros, gestores e profissionais do esporte, além do desenvolvimento das ciências do esporte, no conceito de atuação interdisciplinar envolvendo fisioterapia, psicologia, fisiologia, nutrição e metodologia do treinamento, entre outras áreas. As pessoas com deficiência também se beneficiarão de pesquisas em diversas áreas científicas e tecnológicas ofertadas pelo CTPB.



Nenhum comentário: