quinta-feira, 9 de março de 2017

8 mulheres com deficiência que fizeram a diferença

O dia 8 de março é marcado por emoções devido a conquista das mulheres na inclusão de uma sociedade preconceituosa.

Nesta data especial, selecionamos algumas mulheres que não foram barradas pela deficiência e fizeram a diferença pra você se inspirar.

A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém a Laura Bridgman em uma foto preta e branca, de perfil com os cabelos lisos presos, e usando um óculos escuro com uma feição séria. Fim da descrição.
Foto: Divulgação

Laura Bridgman:
Nasceu em 1829 em Hanover nos Estados Unidos e é conhecida como a primeira a mulher a estudar a língua inglesa, além de ser surda e cega desde os dois anos de idade. Ela foi professora da Escola Perkins para Cegos e morreu em 1889.


A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém a Helen Keller numa foto preta e branca. Ela é uma senhora que está com um leve sorriso em seu rosto. Fim da descrição.
Foto: Divulgação

Helen Keller:
Umas das alunas de Bridgman, Helen foi a primeira pessoa surda e cega a conquistar um bacharelado. A escritora, conferencista e ativista social americana também é conhecida por suas obras na literatura e no cinema. Nasceu em 1880 e morreu em 1968.


A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém a Frida Kahlo com uma feição séria, uma tiara de flores na cabeça, brincos grandes, batom vermelho e colares em seu pescoço. Atrás dela um fundo na cor verde com desenhos de flores. Fim da descrição.
Foto: Acervo do Museu Frida Kahlo

Frida Kahlo:
Frida é uma das maiores figuras representativas do feminismo. A mexicana nasceu em 1907 e morreu em 1954 deixando um legado por enfrentar tantas dificuldades ao longo de sua vida. Uma delas, ter que amputar sua perna esquerda aos 43 anos.


A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém a Maria da Penha com um olhar sereno e sorrindo ao falar. Fim da descrição.
Foto: Reprodução/YouTube

Maria da Penha:
Uma emblemática vítima de violência doméstica que deu nome a Lei que defende as mulheres (Lei Maria da Penha), se tornou paraplégica por conta das agressões que sofreu de seu ex-marido. A farmacêutica cearense, que nasceu em 1945, lutou pela justiça e hoje é representante dos movimentos feministas.


A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém a Dorina Nowill sentada em uma poltrona, sorrindo para a  foto, apoiando um braço em uma mesa que tem um vaso de flores. Fim da descrição.
Foto: Divulgação

Dorina Nowill:
Nascida em 1919 na cidade de São Paulo, Dorina ficou cega os 17 anos devido a uma infecção ocular e morreu em 2010 deixando um legado por intensamente para a criação e implantação de instituições, leis e campanhas em prol das pessoas com deficiência visual. A educadora também foi idealizadora da Fundação Dorina Nowill, que é um uma associação que atende cegos.

A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém a Mara Gabrilli com um sorriso de canto de boca, olhando para o lado direito. Fim da descrição.
Foto: Divulgação

Mara Gabrilli:
A deputada Mara Gabrilli, nasceu em 1967 em São Paulo e sofreu um acidente de carro aos 27 que a deixou tetraplégica. Formada em publicidade e psicologia, Mara fundou o Instituto Mara Gabrilli que atende pessoas com deficiência, além de lutar e projetos em prol desse público na sua vida política.


A imagem está no formato retangular na horizontal. Nela contém a Ana Rita de Paula fotografada ao dar uma entrevista para um réporter que segura um microfone para ela. Ela está uma cadeira de rodas. Fim da descrição.
Foto: Divulgação

Ana Rita de Paula:
A paulistana nasceu em 1962, e já na infância foi diagnosticada com uma deficiência congênita e progressiva que fez com que o uso da cadeira de rodas fosse necessário. A Psicóloga, ganhou muitos prêmios por se dedicar a dar visibilidade para pessoas com deficiência e lutar pela inclusão e acessibilidade.


A imagem está no formato retangular na vertical. Nela contém a modelo Vanessa Vidal desfilando em uma passarela com um fundo azul, usando um vestido na cor amarelo, com uma faixa que está escrito: Ceará. Fim da descrição.
Foto: Divulgação

Vanessa Vidal:
A modelo nasceu no Ceará em 1984, e desde sua infância tem deficiência auditiva. Se formou em ciências contábeis e letras/libras. Em 2008 ficou em segundo lugar ao disputar o concurso de Miss Brasil, sendo a primeira candidata com deficiência a concorrer esse título. Hoje ela é símbolo na luta pela inclusão.

Nenhum comentário: