domingo, 26 de março de 2017

Argentino brilha no fut 7, recebe apelido de Messi Paralímpico, mas diz preferir Neymar

Com dois gols e atuação de gala na final do Parapan de Jovens, Carlos Carrizo diz ser mais identificado com atacante brasileiro. Brasil fecha competição na liderança do quadro de medalhas

Por Flávio Dilascio, São Paulo

Argentino brilha no fut 7, recebe apelido de Messi Paralímpico, mas diz preferir Neymar

Os Jogos Parapan-Americanos de Jovens se encerraram na tarde deste sábado com um Brasil x Argentina de arrepiar. Teve discussão, catimba, provocações na arquibancada e vitória por 2 a 1 dos hermanos na decisão do futebol de 7, disputado por atletas com deficiência física oriunda de paralisia cerebral.

Autor dos dois gols da seleção argentina, o camisa 10 Carlos Carrizo deixou o campo como o herói do título. Chamado de Messi pelos torcedores argentinos presentes na partida, o jogador de 17 anos afirmou ser fã de outro atacante do Barcelona.

Me chamaram de Messi, achei legal, mas gosto mais do Neymar pelo estilo de jogo. Na seleção argentina o meu maior ídolo é o Mascherano, pela raça e dedicação. Divido a alegria desse título com todos os meus companheiros e a minha comissão técnica. Sem isso nada disso seria possível - disse Carrizo, que é natural da cidade de Salta, no norte da Argentina e torce para o Independiente.

Brasil e Argentina chegaram para a decisão do fut 7 invictos e com 100% de aproveitamento. Os hermanos, entretanto, vinham de campanha mais contundente. Na primeira fase, goleadas por 5 a 1 na Venezuela e 10 a 0 no Panamá. Na semifinal, um sonoro 5 a 0 na Colômbia, que ficou com o terceiro lugar ao bater a Venezuela na decisão do bronze neste sábado.

Carlos Carrizo, o Messi Paralímpico, foi o grande personagem da decisão do ouro do futebol de 7 (Foto: Felipe Rau/CPB/MPIX)
Carlos Carrizo, o Messi Paralímpico, foi o grande personagem da decisão do ouro do futebol de 7 (Foto: Felipe Rau/CPB/MPIX)

Já o Brasil vinha de uma apertada vitória sobre a Colômbia (2 a 1) na estreia e um 2 a 0 sobre o Chile na segunda rodada. Na semifinal, os comandados de Wagner Melo enfiaram 7 a 3 na Venezuela, com grandes atuações de João Victor e Gustavo de Jesus.

A decisão do ouro foi uma partida tensa do início ao fim. Os argentinos tiveram mais chances no primeiro tempo, mas pecaram muito na finalização. A pressão hermana aumentou ainda mais na segunda etapa. O primeiro sinal de que o gol da seleção visitante estava maduro foi uma bola na trave em cobrança de falta de Carrizo no início do segundo tempo.

O camisa 10 estava inspirado. Depois de ouvir gritos de "Messi" da torcida, ele invadiu a área brasileira e fuzilou a meta defendida por Nicholas: 1 a 0. A Argentina seguiu dominando o jogo, mas quem marcou foi o Brasil. Em uma bola cruzada para a área, Gustavo de Jesus emendou de primeira fazendo 1 a 1 e levando a decisão à prorrogação.

João Victor não conseguiu evitar a derrota do Brasil, que ficou com a prata (Foto: Felipe Rau/CPB/MPIX)
João Victor não conseguiu evitar a derrota do Brasil, que ficou com a prata (Foto: Felipe Rau/CPB/MPIX)

No tempo extra, no entanto, brilhou mais uma vez a estrela de Carlos Carrizo. Em chute do camisa 10 de fora da área, a bola desviou em João Victor e foi morrer no fundo do gol brasileiro. Festa argentina no Centro Paralímpico Brasileiro, em São Paulo.

Brasil fecha o Parapan no topo do quadro de medalhas

Apesar do revés na final do futebol de 7, o Brasil fechou os Jogos Parapan-Americanos de Jovens na liderança absoluta do quadro de medalhas. Neste sábado, o país-sede do Jogos faturou mais dois ouros, um no basquete em cadeira de rodas masculino e outro no goalball masculino. Ao todo, os atletas brasileiros faturaram 139 medalhas nos seis dias de competição. Foram 66 ouros, 41 pratas e 32 bronzes.

O segundo lugar ficou com a Colômbia. Demonstrando grande evolução em relação aos últimos Parapans de Jovens, os colombianos obtiveram 47 ouros, 38 pratas e 24 bronzes. Antes tida como terceira força do continente, a Argentina apareceu em terceiro com 22 ouros, 30 pratas e 16 bronzes. Completaram o top 5 México (22O, 29P e 22B) e Chile (14O, 10P e 4B). O Parapan de Jovens 2017 contou com a participação de 19 países e cerca de 800 atletas com idade entre 13 e 21 anos.

Brasil conquistou o ouro no basquete em cadeira de rodas no último dia do Parapan de Jovens (Foto: Alexandre Urch/MPIX/CPB)
Brasil conquistou o ouro no basquete em cadeira de rodas no último dia do Parapan de Jovens (Foto: Alexandre Urch/MPIX/CPB)

A campanha brasileira foi extremamente positiva. Não só por ter ficado em primeiro lugar como por ter revelado muitos talentos.

Foi importante ter técnicos das seleções principais como o Leo Tomasello integrando as seleções de base. Estamos felizes também com os resultados de outros países, como o Chile que está no calcanhar da Argentina, que é referência nas Américas. Um dos nossos compromissos é formar parcerias com outros comitês nacionais para o desenvolvimento do esporte paralímpico nas Américas.

Um exemplo disso é a Colômbia, que aprendeu muito conosco, cresceu bastante e hoje é ela que está ensinando outros países - comentou o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, Andrew Parsons.

Nenhum comentário: