quarta-feira, 29 de março de 2017

Atleta do AM conquista prata no Parapan e garante vaga no Mundial

Halterofilista de 15 anos disputou o Parapan na última semana em São Paulo, e vai representar o Brasil no Mundial, que acontecerá no México, em setembro

Por GloboEsporte.com Manaus, AM

Lucas faturou a prata no Parapan (Foto: Antônio Lima/Sejel)
Lucas faturou a prata no Parapan (Foto: Antônio Lima/Sejel)

O amazonense Lucas Santos, de 15 anos, iniciou bem a temporada conquistou a medalha de prata no Halterofilismo (até 49kg), na disputa do Parapan-Americano, em São Paulo, na última semana, na primeira vez em que defendeu a seleção brasileira paralímpica de jovens.

De volta aos treinos, na manhã desta segunda-feira, no Centro de Treinamento de Alto Rendimento da Amazônia (Ctara), na Vila Olímpica de Manaus, o jovem exibiu com orgulho a medalha mais importante da carreira, iniciada em 2015.

É a medalha mais importante da minha vida. É a minha primeira competição internacional e a primeira com a seleção. Estou muito feliz e ainda consegui o índice para disputar o Mundial no México, em setembro - comemorou o atleta, que nasceu com epifisiólise - deslizamento do fêmur com a bacia – que passou a se agravar a partir dos 12 anos.

A primeira disputa internacional de Lucas ainda contou com uma rivalidade antiga dos campos para os ‘pesos’, uma vez que a decisão do título ficou entre o brasileiro e um argentino. Na final, o paratleta ‘hermano’ ficou com o ouro.

Na minha primeira tentativa levantei 70 quilos, na minha segunda quando fui levantar 80 quilos os juízes disseram que fiz um movimento inválido e acabei queimando minha tentativa. Na minha terceira, levantei os 80 e fiquei com a prata. Na última tentativa o argentino fez 92 quilos e ficou com o ouro. Se eu tivesse outra tentativa teria levantado os 92, mas estou feliz - contou.

Orgulho do treinador
Orgulhoso com a medalha conquistada pelo aluno, o treinador e ex-paratleta, José Maria, fez questão de enaltecer a obediência do jovem nos treinos. A medalha obtida no Parapan, também serviu para o próprio treinador reconhecer que o trabalho, ainda no primeiro ano como técnico, está sendo realizado da forma correta.

É uma medalha importante, não só para ele como para mim também. É o meu primeiro ano como treinador, deixei de ser paratleta para iniciar a carreira de treinador. Ele e o Vitor (Afonso) são bons alunos, boas pessoas, que se dedicam muito no que peço. Vamos agora pegar mais pesado para que no mundial do México ele possa levantar de 180 a 190 quilos - afirmou o treinador.

Trabalhar mais
Convocado pela seleção para a disputa no halterofilismo junto com Lucas, o paratleta Vitor Afonso, 20 anos, não conseguiu o mesmo feito que o colega. Sem medalha, o paratleta prometeu treinar ainda mais forte para as próximas disputas.

Foi uma grande experiência com a seleção brasileira. Lá na competição a adrenalina corre na veia, não consegui medalhar e agora é me preparar para uma nova convocação para o Mundial no México. Tenho que treinar mais, corrigir os erros e fazer boas competições nos regionais e brasileiros. Em julho vai sair uma nova convocação e espero ser chamado - disse.

Nenhum comentário: