domingo, 19 de março de 2017

Conheça Elienne...

Meu nome é Elienne,tenho 37 anos,sou formada em Magistério mas atualmente sou exclusivamente dona de casa e mãe.


Tive poliomielite com 9 meses de idade,partindo da ideia que muitos tem em questão da adaptação,posso dizer que crescer e conviver com uma deficiência é sim menos complicado do que adquirir uma deficiência já adulto porém acredito que as dificuldades são as mesmas.

Tive a sorte de nascer em uma família que sempre me deu condições de levar a vida da melhor forma,minha mãe e meus irmãos me levavam para escola,a maior parte dos anos sem cadeira de rodas,me levavam no colo.

Aprendi também em casa a não me ver diferente,sempre fui tratada como igual e esse tratamento foi muito importante para meu crescimento pessoal.

O preconceito a minha volta sempre foi velado,no meu círculo de convivência sempre fui muito amada e respeitada,acho que isso também se deve a minha postura e de minha família diante da minha situação.

Minha deficiência nunca me impediu de nada, estudei, namorei, viajei, em 2012 conheci meu companheiro,foi tudo muito rápido e logo fomos morar juntos,esse sim sofreu alguns preconceitos pois já vinha de relacionamentos anteriores com mulheres andantes e era inaceitável ele conviver com uma cadeirante.

Em relação a nossa vida juntos minha grande dificuldade foi a de convencê-lo de que eu poderia ser mãe.Ele tinha muitas inseguranças em relação a uma possível gravidez e sempre tentava me tirar a ideia da cabeça.

                                   


Porém como qualquer mulher o grande sonho de minha vida era o de ser mãe,tinha muita segurança da minha capacidade,sabia que daria conta do recado e mesmo sem a concordância dele parei com a pílula e engravidei.

Nossa,nem eu mesma acreditei,foi tão rápido,era para ser mesmo,me realizei totalmente como mulher.

Hoje minha princesa Laíza tem 4 anos e posso dizer que tudo que vivi foi um aprendizado para ser uma pessoa melhor,uma mãe pela qual minha filha terá orgulho.

                              

O que posso dizer é que a vida vale a pena,independente das limitações,das dificuldades,a verdadeira felicidade está dentro de nós,minha cadeira de rodas é minha companheira,minha amiga,uma parte de mim e os nossos sonhos somos nós responsáveis por realiza-los, ser feliz nessa vida é nossa única obrigação.




Nenhum comentário: