sábado, 25 de março de 2017

Família denuncia internauta que ofendeu bebê com Síndrome de Down na web.

Vivian Ortiz Do UOL, em São Paulo.

Reprodução/Facebook/Ju Preto
Juliana Preto posa com o sobrinho Fernando, de 11 meses
Juliana Preto posa com o sobrinho Fernando, de 11 meses.

Fernando, um bebê de 11 meses com Síndrome de Down, foi comparado a um filhote de cachorro nos comentários de uma foto postada pela tia dele, a jornalista Juliana Preto, no dia 21 de março,considerado o Dia Internacional da Síndrome. Por conta das circunstâncias, a família, que mora em Recife (PE), optou por denunciar a agressora e levar o caso à justiça.

Em entrevista ao UOL, Juliana explica que a mulher que fez o comentário fazia parte de seus contatos na rede social por questões profissionais e que, apesar dos vários amigos em comum,não tinha uma real amizade com ela. "Quando publiquei, recebi várias palavras elogiosas de pessoas achando a foto fofa, até por ele ser pequenininho", conta.

Dois dias depois da publicação, na quinta-feira (23), o comentário agressivo chamou sua atenção: "Lindos quando são pequenos, mas quando crescem só pensam em trepar", escreveu essa internauta sobre a foto.

                     

Juliana afirma ter ficado tão chocada com as palavras que nem soube o que fazer na hora. "Fui respondendo de forma educada, e ela retrucando.Aí a mãe do meu sobrinho viu e também agiu de forma educada, mas como outras pessoas começaram a criticá-la também, ela apagou os comentários", explica.

A família, no entanto, já estava atenta ao caso e copiou todas as mensagens, além de ir atrás dos dados da tal internauta.Eles procuraram uma delegacia para prestar queixa nesta sexta-feira (24) pela manhã. "A ideia é que ela entenda que não pode sair ofendendo as pessoas impunemente", ressalta Juliana.

De acordo a jornalista, a internauta teria cometido crime de injúria qualificada, além de se enquadrar na lei 13.146/2015,que trata da inclusão das pessoas com deficiência. "No artigo 88, fala especificamente sobre incitação ao ódio contra pessoas com deficiência e Síndrome de Down na internet, com penas de dois a cinco anos", ressalta.

Juliana lembra que, mesmo com toda a repercussão que o caso está tendo--especialmente nas redes sociais--, em nenhum momento aconteceu um pedido de desculpas da parte da internauta.

"Tenho meus preconceitos e brigo com isso todos os dias na tentativa de ser uma pessoa melhor, mas ela não teve essa humildade. Por isso, a família decidiu ir atrás dos direitos do Fernandinho. Essa vai ser a primeira luta dele",diz.

Procurada pela reportagem, a mulher que fez os comentários na foto de Juliana não havia respondido ao contato até o fechamento da matéria.

Nenhum comentário: