segunda-feira, 27 de março de 2017

Respeito: em feito inédito no mundo, campanha mostra pessoa com tetraplegia pilotando carro de corrida por comandos cerebrais - Veja o vídeo.

Em semana de estreia da temporada de F1, campanha da Globo em parceria com o Instituto Rodrigo Mendes busca provocar uma reflexão sobre a inclusão de pessoas com deficiência e mobilizar a sociedade para uma mudança de atitude

Respeito: em feito inédito no mundo, campanha mostra pessoa com tetraplegia pilotando carro de corrida por comandos cerebrais

Quando tecnologia e criatividade se encontram com responsabilidade social, tudo é possível. A tríade conseguiu realizar um fato inédito no mundo: pela primeira vez, uma pessoa com tetraplegia pilotou um carro de corrida usando comandos cerebrais. A conquista faz parte do projeto Movido a Respeito, criado pela Globo em parceria com o Instituto Rodrigo Mendes com o objetivo de buscar a inclusão e uma mudança de atitude da sociedade quando se trata do tema deficiência. O projeto, que marca uma nova fase da plataforma Tudo Começa Pelo Respeito, é lançado neste fim de semana, quando a Globo também transmite a nova temporada da Fórmula 1.

“A ação revela a importância de um mundo acessível, com o direito de ir e vir assegurado para todos. Respeito é olhar para a deficiência e enxergar novas possibilidades. O respeito, mais do que a tolerância, é o responsável por construirmos uma sociedade que valoriza o bem comum acima dos interesses pessoais e de preconceitos”, reforça Sergio Valente, diretor de Comunicação da Globo.

Rodrigo Mendes antes de entrar no carro (Foto: Globo / Ramón Vasconcelos)
Rodrigo Mendes antes de entrar no carro (Foto: Globo / Ramón Vasconcelos)

Nos filmes, gravados no autódromo Velo Cittá, na cidade de Mogi Guaçu, interior de São Paulo, o próprio Rodrigo, que perdeu os movimentos aos 18 anos após levar um tiro durante um assalto, é responsável por conduzir o automóvel – e o faz pela primeira vez desde o incidente. “Fiquei de queixo caído quando vi o carro. Está realmente incrível! Imaginei que seria algo legal, mas nunca pensei que o resultado seria assim tão parecido com um carro profissional de corrida. Foi algo incrível pra mim”, disse. “O mais difícil de ser superado não é a limitação física. É a limitação do preconceito, a limitação da indiferença, a limitação imposta pela sociedade - na comunicação, na arquitetura, na mobilidade urbana e principalmente nas atitudes. As pessoas não são iguais. E não devem ser. O respeito às diferenças é imprescindível para que os direitos sejam iguais para todos. Além do respeito, precisamos mudar nossa atitude em busca da eliminação das barreiras. Em outras palavras, o desafio de se construir uma sociedade inclusiva é meu, é seu, é de todos”, acredita Rodrigo.

Veja abaixo a campanha: Click AQUI para ver o vídeo.

Para a realização do projeto, em que foram envolvidos mais de 100 profissionais de diferentes áreas da Globo, um carro de corrida foi especialmente projetado e equipado para possibilitar uma experiência de direção através de um sistema que responde a comandos cerebrais. Elaborado pela equipe de Tecnologia da empresa, sensores foram instalados no capacete do piloto, que por sua vez estava conectado ao motor do veículo. Através de um software, o mapeamento dos impulsos elétricos produzidos pelas ondas cerebrais do piloto foi enviado para um computador de bordo conectado ao sistema de direção.

O carro sendo ajustado na pista (Foto: Globo / Ramón Vasconcelos)
O carro sendo ajustado na pista (Foto: Globo / Ramón Vasconcelos)

A tecnologia garantiu que a aceleração do carro e os movimentos de curva para direita e esquerda fossem conduzidos pelo pensamento de Rodrigo. Na prática, o sistema detecta os padrões de pensamento e, quando o pensamento treinado é repetido, o computador de bordo reage aos acionamentos necessários no sistema de direção.

Além dos sensores cerebrais, o carro foi equipado com um sistema de controle totalmente computadorizado de onde se aciona direção, acelerador, freio, embreagem e mudança de marcha. Uma câmera frontal detectou o traçado da pista - uma inovação que vem sendo apresentada nas feiras mundiais de tecnologia. Para segurança de Rodrigo, o veículo contou com um receptor remoto e uma comunicação direta com as equipes no box.

“Ficamos muito orgulhosos pelo pioneirismo em desenvolver este projeto, com uma equipe multidisciplinar, colocando a tecnologia a serviço da acessibilidade. Mais do que encantar as pessoas, sabemos do nosso poder de mobilização, e a inovação é uma das ferramentas para isso. Muito tem se falado em inteligência artificial e esta campanha mostra como a tecnologia tem um papel social importante”, afirma Raymundo Barros, diretor de Tecnologia da Globo.

 Campanha quer mobilizar a sociedade em torno de temas como inclusão e respeito às diferenças (Foto: Globo / Ramón Vasconcelos)
Campanha quer mobilizar a sociedade em torno de temas como inclusão e respeito às diferenças (Foto: Globo / Ramón Vasconcelos)

Tudo começa pelo Respeito

A campanha Movido a Respeito é mais uma etapa da plataforma Tudo começa pelo Respeito, lançada pela Globo em 2016, em parceria com UNESCO, UNICEF, UNAIDS e ONU Mulheres, e que atua na mobilização da sociedade para o fortalecimento de uma cultura que não apenas tolere, mas respeite e discuta amplamente os direitos de públicos vulneráveis à discriminação e ao preconceito.

Desde o lançamento da plataforma, temas urgentes dentro da nossa sociedade como racismo, violência contra a mulher, intolerância religiosa e homofobia foram abordados, em diferentes fases da plataforma, seja através de mensagens gravadas – Lázaro Ramos, Taís Araújo, Regina Casé, Marco Nanini, Cássia Kiss e Stênio Garcia participaram – ou com a adesão de vozes anônimas de mobilização social encontradas nas mídias sociais. Com o projeto em parceria com o Instituto Rodrigo Mendes, a Globo quer mobilizar a sociedade sobre o respeito à pessoa com deficiência, lembrando que todo ser humano tem limitações, mas que elas não devem significar impedimento de suas atividades.’
“Ao criar um ambiente em que uma pessoa com deficiência é capaz de conduzir um carro de corrida por comandos cerebrais, queremos mostrar que sua característica não deve ser apenas respeitada, e sim, encarada como um desafio para a melhoria de toda a sociedade”, finaliza Valente.

Com Movido a Respeito, a emissora amplia a mobilização da sociedade em torno de temas como inclusão e respeito às diferenças. “A verdadeira barreira está no olhar da sociedade sobre a pessoa com deficiência. Na nova fase da plataforma Tudo Começa pelo Respeito queremos contribuir para mudar essa percepção”, apresenta Beatriz Azeredo, diretora de Responsabilidade Social da Globo. “Acreditamos que esse é apenas o primeiro passo para uma mudança necessária na forma como pessoas com deficiência são tratadas no Brasil”, conclui a diretora.

O Instituto Rodrigo Mendes é uma organização sem fins lucrativos que tem a missão de colaborar para que toda pessoa com deficiência tenha uma educação de qualidade na escola comum. O objetivo é fazer parte da construção de uma sociedade inclusiva, que garanta a igualdade de direitos e valorize as diferenças humanas. Para isso, são desenvolvidos programas de pesquisa, formação continuada e controle social na área da educação inclusiva em todas as regiões do Brasil e no exterior.

FICHA TÉCNICA
Direção de Criação: Sergio Valente, Mariana Sá e Leandro Castilho
Criação: Marcelo Felicio, Alexandre Tommasi e Monica Tommasi
Atendimento: Carla Sá, Daniela Farina e Patricia Doliveira.
Produção Globo: Jaqueline Couto, Fernanda Ribeiro, Milaine Almeida e Thais Soares
Produtora: La Casa de la madre
Direção: Jorge Brivilati
Direção de fotografia: Bruno Tiezzi
Produção Executiva: Renata Martins e Monica Branco
Montagem: Tiago Feliciano
Montagem Globo: Marcio Vieira e Rafael Fernandes
Pós-produção e finalização: André Carvalho
Produtora de som: Enoise
Locução: Rodrigo Mendes

Fonte: redeglobo.globo.com


Nenhum comentário: