sábado, 13 de maio de 2017

5 coisas que as mães de autistas gostariam que você soubesse

"Pode deixar o seu filho brincar com o meu", "Não é porque ele não fala que ele não te entende"... Veja a lista completa!

5 coisas que as mães de autistas gostariam que você soubesse

Distúrbio cujas causas podem estar relacionadas a fatores genéticos e ambientais, mas que continuam sendo um mistério para a ciência, o autismo afeta o desenvolvimento dos pequenos já nos primeiros três anos de vida.

De acordo com o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), dos Estados Unidos, estima-se que uma em cada 68 crianças recebam o diagnóstico do transtorno, que pode trazer consequências como a dificuldade de interagir socialmente, de se comunicar verbalmente e a presença de comportamentos repetitivos – as chamadas estereotipias.

O problema é que nem sempre as pessoas respeitam os sinais apresentados pelos autistas – especialmente quando falamos de crianças, que podem ter dificuldade para entender certas atitudes de outros pequenos. Por isso, nas redes sociais perguntamos às nossas leitoras que enfrentam esse tipo de situação com os filhos o que elas gostariam de falar para promover, cada vez mais, uma verdadeira inclusão e menos preconceito em relação aos baixinhos que fazem parte do Transtorno do Espectro Autista (TEA). Confira abaixo:

“Pode deixar o seu filho brincar com o meu”, comentou Luana Mendes. Porque, diferente do que alguns acreditam, essa troca entre os pequenos é sempre benéfica para todos os envolvidos!

“Não é porque ele não fala que ele não te entende. Ele entende tudo o que acontece ao seu redor”, afirmou Deise Neves. É muito importante evitar comentários que não acrescentam em nada. Autistas podem ter mais dificuldade para se expressar, mas do jeito deles, eles possuem um entendimento sobre as coisas que acontecem à sua volta.

“Eu gostaria que os outros pais entendessem que ele não é um menino mal-educado. Só que ele ainda não fala e tem dificuldade de demonstrar o que quer, por isso, pode ter esses comportamentos atípicos.

Mas ele entende tudo e, se suas crianças tiverem um pouco de paciência, ele vai amar brincar com elas. Ele é carinhoso e tem uma memória incrível”, contou Cristilaine Costa. Sabe aquela história de não julgar sem conhecer o que realmente se passa? Pois é…

“Gostaria que soubessem que o meu pequeno William, de 4 anos, está no espectro autista e isso é só mais um aspecto da sua personalidade. Crianças estão se descobrindo e ainda vamos nos surpreender muito. Crianças autistas são diferentes, mas JAMAIS incapazes”, ressaltou Gisele. Porque nenhum tipo de distúrbio define uma pessoa. Ela é muito mais do que isso. Se todos estiverem abertos a essa convivência, vão se surpreender!

“Meu filho não gosta de ser tocado, mas isso não significa que ele não goste da sua companhia ou de você”, relatou Luana. Mais uma vez, as crianças autistas têm a sua própria maneira de se expressar e isso não tem nada a ver com o que elas sentem.

Fontes: Bebe Abril - inclusaodiferente.net

Nenhum comentário: