terça-feira, 23 de maio de 2017

A pressão sofrida pelas mães especiais

Todos os dias lemos e assistimos infinitas coisas a respeito de filhos especiais, mas esquecemos de mencionar as mães e falar sobre suas lutas.




Sofremos diariamente uma pressão muito grande e de todos os lados. A grande e maior cobrança vem de nós mesmas, porque por mais que façamos por nossos filhos temos sempre a absoluta certeza de que podemos fazer mais e melhor. Sentimos um imenso vazio, a plena convicção de que podemos aprender mais, lutar mais, ser mais fortes... Nossos filhos especiais são com frequência chamados de anjos, porque assim são, nos ensinam a ser pessoas melhores, mais calmas, pacientes e altruístas.

Quando uma mulher se prepara para ser mãe ela tem um bebê por cerca de dois anos e então esse bebê cresce, se desenvolve, vai criando independência. Quando uma mãe tem um filho especial ela tem um bebê por longos anos, por mais independente que ele seja, são infinitas preocupações, com o desenvolvimento da fala, com a retirada das fraldas, com a deglutição, o sono ou a falta dele, as crises de choro, a capacidade de interagir, de se comunicar, o aprendizado...

Uma criança típica aprende pela observação, uma criança especial leva anos para aprender o simples ato de lavar as mãos e se estiver em um ambiente que sua segurança estiver ameaçada ele pode não conseguir fazer isso sozinha.

Nós mães especiais passamos noites em claro, muitas vezes porque eles não dormem, outras porque eles estão doentes e sua saúde é mais frágil, outras simplesmente porque estamos tão preocupadas que nossos olhos simplesmente não se fecham. Algumas vezes também não dormimos porque nossa mente não esquece alguma frase ruim que ouvimos ou aquela que queríamos tanto ouvir, mas não tínhamos ninguém para nos apoiar.

Vivemos buscando terapia, escola com vaga de inclusão, direitos especiais, atendimentos especializados, locais que atendem mais rápido, que tem menos barulho. Somos capazes de rodar o mundo em busca do melhor por eles, somos capazes também de acabar com amizades de anos para defender a dignidade dos nossos filhos.

Com o passar dos anos vamos desenvolvendo uma incrível capacidade de amar de ajudar a todos que precisam de uma palavra de afeto, mas infelizmente muitas vezes batemos de frente com a insensibilidade e a frieza.

Ouvimos pessoas nos julgando, dizendo que não sabemos educar, que deveríamos fazer de outra forma, que poderíamos ser melhores. Acho que é muita crueldade, sinceramente, quem não faz parte disso falar assim, dizer que é culpa da mãe que a criança é assim. Muitas vezes ouvi isso de amigos e familiares, que meu filho “era assim” por culpa minha e que eu não sabia lidar com ele, que eu medicava sem necessidade (???????), vou deixar ele ter convulsão até entrar em coma de novo? É muita pressão sim, dizer que uma criança chora por culpa da mãe, não fala por culpa da mãe, não come por culpa da mãe, quando na verdade as pessoas ficam pouco tempo com essas crianças e no momento em que estão com elas tudo para elas é novidade. Claro que na convivência tudo muda.

Uma mãe de criança especial sofre pressão demais para ainda sofrer pressão da sociedade, parentes e amigos. Ela precisa de cuidados, ela precisa de ajuda, de carinho. Ela é, antes de tudo, uma mulher, cheia de sonhos, de vida, de vontade de conversar, de amar e ser amada.

O que posso dizer para essas mães é que tenham força, que assim como eu acreditem em mundo melhor, eu não vou me calar, vou mostrar para o mundo que estamos aqui, que amamos nossos filhos e Deus nos escolheu por uma razão muito especial, somos as melhores mães que nossos filhos poderiam ter.


Quando temos um filho especial nos tornamos especiais também, abrimos mão das nossas vidas, deixamos para trás nossas prioridades, largamos muitas vezes nossas carreiras, faculdades, mudamos o rumo, não vamos mais ao shopping como íamos antes, não saímos mais com os amigos como saíamos antes, não viajamos mais nas férias para não tirar a segurança da rotina dos nossos filhos, não vamos a restaurantes, praias, salões de beleza, academias... abrimos mão de coisas pequenas em busca de um amor que só um filho especial pode nos dar, um amor puro, verdadeiro, que atravessa nossa alma, invade nosso coração, preenche nosso ser, faz cada segundo dessa vida valer a pena.

Mães, não percam a esperança. A esperança é algo que devemos cultivar, porque a esperança sempre tem uma boa solução para tudo.

Grande beijo cheio de luz e paz. Mamãe

kenyadiehl@gmail.com
facebook/kenyatldiehl.com

Nenhum comentário: