quarta-feira, 3 de maio de 2017

Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro: o estado de São Paulo na vanguarda do esporte como ferramenta de inclusão

Referência internacional, dá espaço para atletas com deficiência em 15 modalidades

Fachada do Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro

Desde maio de 2016, São Paulo é ponto de referência quando o assunto é esporte paralímpico. O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, em parceria com o Governo Federal, pelo Ministério do Esporte, construiu o Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro, no Parque Fontes do Ipiranga, na Capital paulista. O Centro é referência internacional e está entre os mais equipados e maiores do mundo para atender atletas paralímpicos.

O espaço de 95 mil metros quadrados de área abriga treinamentos e competições desde o momento da inauguração, há um ano. A gestão atual do Centro fica por conta do Comitê Paralímpico Brasileiro – CPB, que organiza os treinos e competições que o local recebe. O direito ao esporte como instrumento de inclusão social está previsto na Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (13.146/2015).

O objetivo do Centro de Treinamento é fomentar o esporte para atletas com deficiência, criando condições para que eles se destaquem nas competições municipais, estaduais, nacionais e internacionais, dando ênfase às técnicas avançadas e tecnologias.

O espaço conta com estrutura para receber 15 modalidades, como por exemplo, o futebol de 5 para cegos, no qual Mizael Conrado, atual presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro, sagrou-se bicampeão olímpico. As modalidades que o CT contempla são: atletismo, basquete em cadeira de rodas, bocha, natação, esgrima em cadeira de rodas, futebol de 5, futebol de 7, goalball, halterofilismo, judô, rúgbi, tênis, tênis em cadeira de rodas, triatlo e voleibol sentado. Ele está dividido em 11 setores que englobam áreas esportivas de treinamento, hotel, centro de convenções, laboratórios, condicionamento físico e fisioterapia.

Tênis de mesa no Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro

Abrigando quadras de tênis, futebol de 5 e 7, piscinas, pistas de atletismo, arenas multiuso e com arquibancadas móveis, entre outros, o CT segue o conceito de países potência no esporte adaptado, como China e Coreia do Sul e é um dos quatro Centros existentes no mundo.

As atletas paulistas de bocha Noemia Hirakawa e Suely Resende treinam no Centro e buscam um preparo melhor para subirem de divisão no campeonato estadual. “É o ápice de nossa carreira estar aqui no Centro de Treinamento, pois antes treinávamos apenas uma vez por semana, num local improvisado e não tínhamos um bom rendimento. Agora, com as quadras adequadas, ficou melhor”, explica Noemia.

Atletas de Bocha paralímpica, Noemia e Suely

“A estrutura para nós foi ótima, pois contamos também com um treinador e assim podemos pensar em subir de divisão no Paulista de Bocha”, conclui Suely. Ambas acreditam que podem evoluir muito no esporte por terem um espaço específico para treinamento.

O evento mais recente que o CT Paraolímpico Brasileiro sediou foi o Open Loterias Caixa, realizado entre os dias 21 e 23 de abril, tendo 26 atletas – 13 atingindo índices classificatórios para os mundiais de natação em Londres, e outros 13 no atletismo no México.

Atletas de Bocha paralímpica, Noemia e Suely

Lorena Spoladore de 21 anos, perdeu a visão aos seis anos de idade, devido a um glaucoma congênito. Hoje Lorena compete na modalidade atletismo. Nos Jogos Paraolímpicos Rio 2016, a atleta ganhou duas medalhas, uma de prata no revezamento 4x100 e outra de bronze no salto em distância T11.

“Para mim é um privilégio muito grande treinar no CT. É uma estrutura de primeiro mundo”, relata. “A minha evolução foi muito rápida, pois entrei no atletismo de rendimento há pouco tempo. Graças a estrutura que tem aqui em São Paulo, eu despontei com mais facilidade”, completa a atleta que treina em busca de uma boa marca no Open da Argentina, que ocorrerá nos dias 20 e 21 de maio, para alcançar índice classificatório para o Mundial de Atletismo, que acontece em julho.

Além dos treinamentos e das competições, o local ainda tem espaço para intercâmbios de atletas e seleções, preparação física, cursos para técnicos, árbitros, gestores e profissionais do esporte. Também abrange o desenvolvimento das ciências do esporte, no conceito de atuação interdisciplinar envolvendo fisioterapia, psicologia, fisiologia, nutrição e metodologia do treinamento, entre outras áreas.

Para utilizar o espaço para treinamento é necessário que o atleta seja filiado a alguma Confederação de esporte adaptado.

SERVIÇO
Centro de Treinamento Paraolímpico Brasileiro
Local: Parque Fontes do Ipiranga
Endereço: Rodovia dos Imigrantes, km 11,5 - Vila Guarani, Jabaquara
Realização: Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência
Governo do Estado de São Paulo

*Redação e Fotos: Assessoria de Comunicação Institucional – Simone Nieves, Nathaly Rigo e Thiago Alves. Revisão e Edição Final: Maria Isabel da Silva – Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Governo do Estado de São Paulo.

Nenhum comentário: