quarta-feira, 10 de maio de 2017

Cobrador cadeirante morto em ataque a ônibus é sepultado na Grande Fortaleza

Veículo em que a o cobrador trabalhava foi atacado no dia 20 de abril.

Por G1 CE

(Foto: Reprodução)
 Grande Fortaleza tem segundo dia de ataques a ônibus e delegacias (Foto: Reprodução)
Grande Fortaleza tem segundo dia de ataques a ônibus e delegacias 

O cobrador José Nunes de Sousa Neto, que morreu após ter 90% do corpo queimado durante um ataque incendiário a ônibus em Fortaleza, foi enterrado n a tarde desta terça-feira (9) no Cemitério Jardim do Éden, no município de Pacatuba, Região Metropolitana de Fortaleza. Antes de ser enterrado, amigos e familiares velaram o corpo do cobrador no Bairro Paupina, em Fortaleza.

O cobrador morreu após ficar 18 dias internado no Instituto Dr. José Frota (IJF), no Centro. O ônibus em que a vítima estava foi incendiado em frente a Escola Municipal Jornalista Demócrito Dummar, na Comunidade Jardim Fluminense. Criminosos pararam o veículo e atearam fogo. O cadeirante não conseguiu sair a tempo do veículo e teve o corpo queimado com queimaduras de primeiro e segundo graus.

Por conta da morte, motoristas e cobradores de ônibus de Fortaleza fecharam por uma hora, na manhã desta terça-feira (9), o terminal do Bairro Siqueira  em Fortaleza. Segundo o diretor do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Ceará (Sintro), Flávio Braz, o protesto teve dois objetivos: protestar contra a morte de José Nunes e protestar pelo aumento salarial.

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Ceará (Sindiônibus) lamentou e divulgou uma nota de "pesar e indignação". Conforme o sindicato, José Nunes de Sousa foi um "exemplar trabalhador" e atuava como cobrador desde 1979.

Nota de falecimento
É com muito pesar e indignação que lamentamos a morte do funcionário da empresa Fretcar, José Nunes de Sousa Neto, vítima da prática criminosa e recorrente de incêndios a ônibus e que tem colocado em risco a vida de trabalhadores do transporte e cidadãos.

Infelizmente, essa última série de ataques vitimou um exemplar trabalhador do nosso sistema de transporte, que estava conosco desde 1979 e que deixou a todos que atuam no setor de transporte de Fortaleza profundamente consternados. Além da Fretcar, José Nunes já foi funcionário da Auto Viação São José e da Autoviária São Vicente de Paulo.

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: