domingo, 14 de maio de 2017

Dia das Mães, maio de 2017. Carta para minha filha em coma

Sobre o dom de voar


por Odele Souza

Flavia, filha querida,

Hoje é dia das mães, e como todos os anos, desde que você passou a viver em coma, te escrevo uma carta. E hoje pra te contar que tenho acordado todos os dias com a forte lembrança do sonho recorrente que há anos tenho com você.De mãos dadas, nós duas voamos por sobre os lugares de sua infância.

Qual seria o significado deste sonho recorrente filha? Tenho pra mim que sonhar repetidas vezes voando com você, de mãos dadas, pode significar infinitas possibilidades. Por exemplo, aproximar ainda mais, se isto é possível, mãe e filha. Ou talvez, porque no mundo dos sonhos, tudo seja possível, e eu tenha a oportunidade de voltar a ouvir sua voz. Ah! Como eu gostaria de voltar a ouvir sua voz, filha. É minha maior saudade, desde o dia que você passou a viver em coma. Saudade de sua voz. Muita. Ou quem sabe filha, este sonho recorrente seja para que voando com você eu consiga e mantenha, a leveza necessária para que aqui na terra eu possa me tornar uma pessoa melhor.

Entre tantas coisas bonitas que aprendi com você, obrigada filha, por me ensinar a voar. E obrigada por sempre voar comigo.

Nenhum comentário: