terça-feira, 16 de maio de 2017

Em categoria diferenciada, garoto com deficiência vence torneio de skate e diz: "Quero Mais"

Leonardo Teixeira, de 15 anos, participou neste fim de semana do Campeonato Interno Escolinha de Skateboards, em Manaus, e conquistou seu 1º troféu na categoria Skate Terapia

Por GloboEsporte.com, Manaus, AM

Em categoria diferenciada, garoto com deficiência vence torneio de skate e diz:

Neste fim de semana, garotos entre 5 a 15 disputaram no Campeonato Interno Escolinha de Skateboards, que ocorreu no Centro Estadual de Convivência Magdalena Arce Daou, no bairro Compensa, Zona Oeste de Manaus. E, entre os 35 participantes, um chamou a atenção. Leonardo Teixeira, diagnosticado com mielomeningocele (malformação congênita da coluna vertebral), conquistou o primeiro troféu.

Depois desse (troféu) ainda quero mais. Isso me motiva a treinar e a andar mais de skate - disse.

Leonardo adotou o skate como terapia e conquistou o primeiro título (Foto: Anderson Silva/Sejel)
Leonardo adotou o skate como terapia e conquistou o primeiro título (Foto: Anderson Silva/Sejel)

Leonardo participou de uma das categorias da competição, a Skate Terapia (Pessoas com Deficiência – PCDs). E ele esteve acompanhado da mamãe, Luzia Jeane, que vibrou com a evolução do garoto de 15 anos.

O Leonardo está há dois anos no projeto. Ele veio para cá (Centro Estadual de Convivência Magdalena Arce Daou) devido à fisioterapia que ele faz com os pezinhos dele, a coluna, por causa da doença dele. Ele acabou fazendo um teste no skate terapia e não saiu mais, se apaixonou. Hoje ele melhorou muito. A postura dele, a paciência dele. Antes ele não gostava nem que chegasse perto dele. Hoje mudou tudo - comemora a mãe.

Professor Ney Metal, responsável pela categoria Skate Terapia, dando orientações a Leonardo (Foto: Anderson Silva/Sejel)
Professor Ney Metal, responsável pela categoria Skate Terapia, dando orientações a Leonardo (Foto: Anderson Silva/Sejel)

Principal responsável pelo projeto Skate Terapia, o professor Ney Metal comemora os resultados obtidos desde 2012. A “colheita” nesses cinco anos de projeto é bastante farta.

É um evento que tem objetivo de motivar as crianças e os pais. Estamos mostrando um skate educacional, educativo, e não aquele skate que a sociedade acha que existe; o skate vandalismo. Dá muito prazer, principalmente com o nosso skate terapia, que são crianças com problemas de ordem neurológica, até emocional. Essas crianças são os nossos motivadores e elas estão envolvendo habilidades, evoluindo a cada dia - contou.

Nenhum comentário: