terça-feira, 16 de maio de 2017

Emma volta a escrever: relógio inteligente controla tremores do Parkinson - Veja o vídeo

Do UOL, em São Paulo.

Divulgação/Microsoft
Tremores na mão da designer diminuíram sensivelmente com o relógio inteligente, como é possível ver nos escritos feitos sem o gadget e com ele

Um relógio de pulso ajuda a controlar tremores de pessoas com Doença de Parkinson. O dispositivo foi inventado pensando em Emma Lawton, uma designer que tem a doença e, por causa dela, tem as habilidades manuais necessárias para desenvolver a profissão comprometidas. Por este motivo, o gadget foi batizado de Emma Watch.

Click AQUI para ver o vídeo.

Desenvolvido pela diretora da divisão de Pesquisa e Inovação da Microsoft Haiyan Zhang, o dispositivo foi apresentado na Build 2017, conferência que reúne desenvolvedores da Microsoft, realizada em Seattle, nos Estados Unidos, entre os dias 10 e 12 de maio.

O protótipo emite vibrações, semelhantes aos gerados pelos celulares, que "enganam" o cérebro, fazendo com que tremores de mão diminuam sensivelmente, ainda que não cessem totalmente.

O cérebro, em pessoas com Parkinson, dispara sinais conflitantes para os músculos, gerando um "caos" interno, já que eles têm de executar muitos movimentos ao mesmo tempo.

As vibrações emitidas pelo relógio, porém, quebram este ciclo, fazendo com que o cérebro se concentre no pulso e estabilize os movimentos da mão. Isto, aparentemente, reduz as mensagens "caóticas" emitidas para aquele ponto. Para Zhang, é como se um "ruído branco" fosse injetado neste ciclo caótico, no intuito de interrompe-lo.

O padrão rítmico das vibrações que serão emitidas pelo relógio é controlado por um aplicativo em um tablet com Windows 10.

Ao sentir as vibrações no pulso e conseguir segurar a caneta com uma firmeza na mão que há muito tempo não possuía, Emma pôde novamente assinar seu nome e traçar linhas retas no papel."O dispositivo não para o meu tremor", disse Emma à Microsoft. "A escrita não vai ser perfeita. Mas, meu Deus, é muito melhor".

Zhang acredita que o dispositivo possa ser uma "solução" rápida e emergencial para controlar os tremores de quem tem Parkison, doença que atinge mais de 10 milhões no mundo e que ainda não tem cura. Não há ainda, porém, previsão para que o dispositivo chegue ao mercado.

Nenhum comentário: