domingo, 21 de maio de 2017

Engenheiro do Taiwan cria próteses de graça para quem não consegue pagar por tecnologia

Chang Hsien-Liang, de 46 anos, perdeu o braço em um acidente de fábrica

Do R7, com Reuters

Foto: REUTERS
Depois de ter o braço direito arrancado em um acidente na empresa onde trabalhava, Chang Hsien-Liang tentou usar várias próteses que pudessem substituir o membro perdido
Depois de ter o braço direito arrancado em um acidente na empresa onde trabalhava, Chang Hsien-Liang tentou usar várias próteses que pudessem substituir o membro perdido.

Foto: REUTERS
As tecnologias que ele tinha condições, porém, eram muito básicas e a mão robótica que ele queria era muito cara
As tecnologias que ele tinha condições, porém, eram muito básicas e a mão robótica que ele queria era muito cara.


Foto: REUTERS
Para resolver esse problema, o ex-engenheiro de 46 anos começou a criar sua própria prótese usando a tecnologia de uma impressora 3D e agora consegue fazer todas a atividades que precisa normalmente
Para resolver esse problema, o ex-engenheiro de 46 anos começou a criar sua própria prótese usando a tecnologia de uma impressora 3D e agora consegue fazer todas a atividades que precisa normalmente.

Foto: REUTERS
Agora que a ideia deu certo, Chang decidiu usar o conhecimento que tem para ajudar os outros
Agora que a ideia deu certo, Chang decidiu usar o conhecimento que tem para ajudar os outros.

Foto: REUTERS
Ele começou a construir uma prótese para a pequena Angel Peng, de 8 anos
Ele começou a construir uma prótese para a pequena Angel Peng, de 8 anos.

Foto: REUTERS
A garota teve o ferimento na mão quando ainda tinha nove meses por conta de um acidente com queimaduras
A garota teve o ferimento na mão quando ainda tinha nove meses por conta de um acidente com queimaduras.

Foto: REUTERS
A mãe de Angel, Peng Ji-han, conta que até já tinha ouvido falar de Chang, mas nunca imaginou que um dia ela pudesse ser atendida
A mãe de Angel, Peng Ji-han, conta que até já tinha ouvido falar de Chang, mas nunca imaginou que um dia ela pudesse ser atendida.

Foto: REUTERS
'Ela cresceu imaginando que é normal ter uma mão só', disse Peng, que ainda explica que não tinha condições de comprar uma prótese para a filha
"Ela cresceu imaginando que é normal ter uma mão só", disse Peng, que ainda explica que não tinha condições de comprar uma prótese para a filha.

Nenhum comentário: