sexta-feira, 26 de maio de 2017

Judoca com síndrome de down supera preconceito e se destaca nos tatames

Matheus, de 12 anos, morador de Petrópolis, no Rio de Janeiro, conseguiu mais de 19 medalhas em quatro anos. Última foi na Copa São Paulo para Todos.

Por Aline Rickly, Petrópolis, RJ

                           Este ano, Matheus venceu a Copa São Paulo de Judô para Todos (Foto: Arquivo Pessoal | André Moreira)
Este ano, Matheus venceu a Copa São Paulo de Judô para Todos (Foto: Arquivo Pessoal | André Moreira)

O judoca Matheus Domingues Moreira, de 12 anos, é filiado a Confederação Brasileira de Ligas de Judô e prova que vencer desafios é uma questão de força de vontade e de muito incentivo. Morador de Petrópolis, na Região Serrana do Rio, o atleta possui síndrome de down e chegou a enfrentar preconceito na escolinha de futebol.

Atleta recebe medalha e sobe ao pódio na Copa São Paulo (Foto: Arquivo Pessoal|André Moreira)
Atleta recebe medalha e sobe ao pódio na Copa São Paulo (Foto: Arquivo Pessoal|André Moreira)

Matheus começou a praticar o judô aos 8 anos e, desde então, já participou de mais de 19 competições em municípios dos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro. No mês passado, venceu a Copa São Paulo de Judô para Todos, concorrendo com outros atletas especiais. Em 2016, concorreu entre os 10 melhores golpes do judô no estado do Rio de Janeiro. Segundo o pai, André Moreira, nesta disputa, o filho era o único lutador especial entre os concorrentes. Embora não tenha vencido, o fato de estar entre os finalistas deixou a família orgulhosa.

Ele tem consciência de que é um competidor e é apaixonado pelo tatame. Todas as manhãs levanta da cama perguntando se é dia de treino - revelou o pai.

Matheus e os irmãos que também são lutadores (Foto: Arquivo Pessoal | André Moreira)
Matheus e os irmãos que também são lutadores (Foto: Arquivo Pessoal | André Moreira)

O atleta tem três irmãos, que também são lutadores, e o incentivam a ir adiante. Um deles, Guilherme Moreira, de 23 anos, está se formando em Educação Física e é quem dá todo o auxílio durante as competições.

Coleção das principais medalhas que Matheus conquistou nos últimos anos (Foto: Arquivo Pessoal | André Moreira)
Coleção das principais medalhas que Matheus conquistou nos últimos anos (Foto: Arquivo Pessoal | André Moreira)

O Matheus tem talento e potencial para o judô, aprende rápido e gosta do esporte. Mas, ao mesmo tempo, é um desafio treiná-lo e, por isso, busco sempre trabalhar com coisas mais criativas e lúdicas para despertar o interesse do Matheus - declarou Guilherme.

Do diagnóstico da síndrome de down à paixão pelo judô

Matheus com o pai, a mãe e os irmãos em uma competição (Foto: Arquivo Pessoal | André Moreira)
Matheus com o pai, a mãe e os irmãos em uma competição (Foto: Arquivo Pessoal | André Moreira)

A mãe do judoca, Valéria Domingues Moreira, disse que o diagnóstico da síndrome de down só apareceu depois que o Matheus nasceu e ,desde aquele momento, já sabia que teria um desafio para a vida toda. Em seguida, com dois meses de idade, descobriu que o filho tinha um problema cardíaco.

Na época, os médicos nos aconselharam a esperar até que ele completasse um ano e meio para operar e ,mesmo apreensivos, aguardamos e a cirurgia foi feita. Depois disso, começaram as sessões de fisioterapia e, após um tempo, resolvemos levá-lo para a natação, que foi o primeiro esporte que ele praticou - contou a mãe, que também se orgulha ao dizer que Matheus foi alfabetizado há dois anos.

Saber que ele pode consumir informação dá uma tranquilidade para gente - afirmou.

Atualmente, ele cursa o 4º ano do ensino fundamental, onde acompanha uma turma regular. Durante a semana, também faz tratamento de fisioterapia e fonouaudiologia.

Antes de embarcar no judô, o atleta também chegou a fazer aulas de futebol, esporte pelo qual é apaixonado. Ao GloboEsporte.com, ele contou que torce para o Fluminense e para o Barcelona. Porém, segundo a mãe, a experiência foi desastrosa porque Matheus não conseguiu se desenvolver por conta de preconceito de alunos e pais que faziam parte da escolinha.

Foi neste momento que começamos a perceber que ele se interessava pelo judô porque via os irmãos mais velhos falando da luta em casa. Resolvemos testar o esporte, ele adorou e foi muito bem recebido por todos - garantiu.

                      João, irmão caçula, é um dos grandes incentivadores do Matheus (Foto: Aline Rickly | G1)
João, irmão caçula, é um dos grandes incentivadores do Matheus (Foto: Aline Rickly | G1)

Fonte:

Nenhum comentário: