segunda-feira, 15 de maio de 2017

Mãe cria perfil em rede social e mostra dia a dia da filha com Síndrome de Down; 'enxergo além'

Maria Luiza, de Nova Friburgo, RJ, conta que quando a filha nasceu, encontrou informação e força em blogs que falavam sobre a síndrome.

Por Juliana Scarini, G1, Nova Friburgo

Maria Luiza Duran, de 31 anos, e a pequena Giovana, de 4 (Foto: Arquivo Pessoal / Maria Luiza Duran)
Maria Luiza Duran, de 31 anos, e a pequena Giovana, de 4 (Foto: Arquivo Pessoal / Maria Luiza Duran)

Uma mãe de Nova Friburgo, na Região Serrana do Rio, resolveu compartilhar as conquistas da filha Giovana Duran, de 4 anos, que nasceu Síndrome de Down, em uma página nas redes sociais. O perfil “Gigicando” tem mais de mil curtidas e mostra de forma descontraída o dia a dia da pequena. Maria Luiza Duran, de 31 anos, conta que descobriu a síndrome assim que a filha nasceu e, quando a menina estava com seis meses, se tornou ativadora do Movimento Down.

Página  tem mais de mil seguidores e mostra dia a dia de uma criança com Síndrome de Down (Foto: Reprodução / Facebook)
Página tem mais de mil seguidores e mostra dia a dia de uma criança com Síndrome de Down (Foto: Reprodução / Facebook)

“Toda mãe tem um período de 'luto'. Eu tive esse período quando a Gigi nasceu porque eu não sabia nada sobre a síndrome e foi através de dois blogs que eu tive uma visão diferente, busquei informação e resolvi ajudar outras famílias, mostrando que não é um bicho de sete cabeças”, explicou Maria Luiza.

De acordo com a mãe, Giovana nasceu com hipotonia (perda do tônus muscular), limitações na fala e possui atraso motor. Ela relembrou quando o médico deu a notícia, baseado nas características físicas da bebê.

“Ele disse que ela tinha o olho puxadinho e o nariz achatado e eu brinquei dizendo que isso eu também tenho”, narrou, afirmando que tem a felicidade de ter uma filha super parecida com ela.

Giovana brinca de fazer pose durante passeio em Teresópolis (Foto: Arquivo Pessoal / Maria Luiza Duran)
Giovana brinca de fazer pose durante passeio em Teresópolis (Foto: Arquivo Pessoal / Maria Luiza Duran)

Giovana andou com dois anos e ainda não corre, mas semanalmente passa por sessões de fisioterapia e atividades para estimular e desenvolver competências. No perfil, Gigi, como é chamada, aparece em fotos divertidas, fazendo atividades de rotina.

“A Giovana foi uma criança muito desejada, eu quis muito e enxergo além da deficiência. Ela tem autonomia, come sozinha, calça o sapato sozinha. Quando quer as coisas, faz pirraça, como qualquer criança”, contou Maria Luiza.

"A Giovana foi uma criança muito desejada, eu quis muito e enxergo além da deficiência", Maria Luiza Duran

Videos e fotos fazem parte do dia a dia da pequena Gigi. Maria Luiza procura registrar momentos comuns na vida de uma criança com o objetivo de mostrar que a Síndrome de Down não deve ser tratada com diferença.

“Eu nunca tive pena da Gigi e eu falei com as pessoas da minha família que não queria ninguém tratando a Giovana como tadinha, porque ela já vai passar por isso fora de casa”, explicou.

Trabalho social

Além de compartilhar as experiências com internautas, Maria Luiza é ativadora do Movimento Down em Nova Friburgo e realiza eventos e ministra palestras no município. Uma das ações é a implementação do Dia Mundial da Síndrome de Down no calendário da cidade. Além disso, Maria Luiza está criando a Comissão dos Direitos das Pessoas com Deficiência na OAB.

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: