terça-feira, 20 de junho de 2017

A história de Peterson e Manu, pai e filho que viram um só nas corridas - Veja o vídeo.

Depois de ver na televisão o caso do corredor Rodrigo e o filho Biel, Peterson decide começar a correr empurrando um triciclo para levar o Emanuel às provas de rua: "Decidi ser os braços e as pernas dele"

Por Rafael Honório, Rio de Janeiro

A história de Peterson e Manu, pai e filho que viram um só nas corridas

As quatro letrinhas que são uma benção para a família Rodrigues: Manu. Um sobrevivente que ensinou seus pais, Erica e Peterson, a viver. É uma história comovente. Na hora do parto do pequeno Emanuel aconteceu um problema e foi preciso fazer uma cesariana. O bebê ficou internado quatorze dias no CTI do hospital. Cinco meses depois, os pais descobriram uma paralisia cerebral que acarretou numa microcefalia. Eles sofreram com a notícia, mas o amor e carinho pelo Manu ficaram ainda mais evidentes no lar da família.

Click AQUI para ver o vídeo.

Resultado de imagem para A história de Peterson e Manu, pai e filho que viram um só nas corridas
Conheça a história do Peterson, que vai correr empurrando o filho Manu

Porque muitas coisas, até mesmo da vida, ele vem me ensinando com um sorriso, um olhar, com um jeitinho dele - contou Peterson.

Quando viu na televisão a história de um pai e um filho com o mesmo diagnóstico, mas com um jeito diferente de ver a vida, Peterson teve uma ideia. Era o Rodrigo, pai do Biel, outro menino com paralisia cerebral. Com a ajuda de um triciclo, eles decidiram quebrar barreiras e resolveram participar de maratonas Inspirado neles, Peterson resolveu mudar de vida. Foram menos 20kg na balança e muitos quilômetros a mais na sola do tênis. Isso sem contar no maior presente.

Peterson e Manu nas provas que disputam: harmonia entre pai e filho (Foto: Esporte Arte)
Peterson e Manu nas provas que disputam: harmonia entre pai e filho (Foto: Esporte Arte)

Eu só sabia chorar e eu falei "quero isso para mim". Costumo dizer que o Manu é o meu coração fora do corpo - disse o paizão.

Foi no Parque de Gericinó, na Baixada Fluminense, que esse amor pela corrida começou. Os quilômetros foram aumentando e a parceria entre o Peterson e o Manu era cada vez mais forte.

Isso mudou a rotina da nossa família. Mudou a forma como a gente encara as coisas e passamos a ver somente as coisas boas - afirmou Erica.

Durante as corridas, Manu e Peterson se completam (Foto: Eu Atleta)
Durante as corridas, Manu e Peterson se completam (Foto: Eu Atleta)

Durante as corridas, os dois se completam. Um corpo e um coração, os pés e as rodas. E um amor em comum.

O Manu é tudo. Eu não consigo descrever. Eu costumo dizer que decidi ser os braços e as pernas dele. Enquanto tiver fôlego, vou curtir e levá-lo às corridas - disse Peterson.

Para a mãe, o menino gosta mesmo do ventinho no rosto e a adrenalina de correr com o pai.

Quando eles estão correndo, eu já presenciei o Peterson conversando com o Emanuel e falando: "Vamos, filho. Vamos correr, vamos chegar" - lembrou.

Com a corrida, Peterson também ganhou saúde e emagreceu 20kg (Foto: Eu Atleta)
Com a corrida, Peterson também ganhou saúde e emagreceu 20kg (Foto: Eu Atleta)

No domingo (18 de junho), eles correram juntos a prova de 21km dentro da Maratona do Rio. Mais uma conquista em uma história cheia delas.

Ele fica maravilhado, ri e bate a perninha. É muito bom ter aquela sensação do vento no rosto. É gratificante. Só eu e ele. Pensando, agradecendo por tudo. Porque costumo agradecer até mesmo pelas dificuldades. Porque é justamente nas dificuldades que a gente acaba crescendo - destacou Peterson.

Erica não esconde a emoção e também se derrete pelo seu Manu:

É o grande amor da minha vida. É o filho que eu não planejei ter dessa forma. Mas é a melhor coisa que já aconteceu. E se eu tivesse que passar tudo de novo, viver tudo de novo para tê-lo do jeito que ele é, eu faria, porque é uma criança alegre. Ele é amigo e carinhoso demais - Erica, mãe.


Nenhum comentário: