quarta-feira, 7 de junho de 2017

Barco vira, Fernando Fernandes passa sufoco, mas vence prova em Santos - Veja os vídeos.

Tetracampeão mundial de paracanoagem tem dificuldades na largada, mas consegue chegar à frente de rival. Ex-BBB compete ainda na prova convencional, porém desiste

Por GloboEsporte.com - Santos

Fernando Fernandes acidente brasileiro canoagem praia grande (Foto: Reprodução SporTV)
Fernando Fernandes (de verde) é ajudado após ter o seu barco virado pelas ondas (Foto: Reprodução SporTV)

O sábado foi de fortes emoções para o paracanoísta Fernando Fernandes. Tetracampeão mundial de paracanoagem, o ex-BBB participou do desafio Ocean Sprint de canoagem oceânica em Santos, tendo competindo inclusive na categoria para não deficientes. Nas duas provas, Fernando encontrou muita dificuldade para superar a arrebentação do mar da Praia Grande. Na competição para paraatletas, ele passou sufoco na largada, quando o seu barco virou. No entanto, ele conseguiu se recuperar e vencer a prova, chegando à frente do desafiante Fernando Ruffino.

Quando você pega um marzão desses, quebrando na sua cabeça e se alinha ali na hora da prova paralímpica, acho que ajuda muito. Porque você para e pensa assim: Eu já peguei coisa difícil. Aqui é difícil, mas tem coisa muito mais difícil na vida. É que eu amo a canoagem. Aqui eu faço o que não posso fazer na terra, onde a gente está preso numa cadeira de rodas. No mar eu estou igual qualquer um. É só botar no peito e na raça e a gente vai para cima - afirmou Fernando.

Click AQUI para ver os vídeos.

Mais cedo, o ex-BBB tentou participar também da prova para não deficientes. Contudo, ele desistiu de ir para a largada por questão de equipamentos (assista no vídeo acima). No momento da desistência, Fernando ficou muito irritado, chegando a lançar a sua viseira no mar. Após a prova, vencida por Alessandro Fernandes, o tetracampeão mundial de paracanoagem explicou o que ocorreu:

O problema foi que a adaptação para mim tem que estar muito bem feita, porque não sinto nada da cintura para baixo. Então, quem rema em mar sabe dá dificuldade que é varar essas ondas. Meio metrão rolando, fazer o leme ainda com a mão, enquanto todo mundo faz com o pé. Além de ficar remando tenho que ficar me equilibrando. Só que eu sou teimoso, esse é o meu problema. Perdi, rodei na primeira, não deu. A gente foi lá, rolou tudo de novo. Queria competir com a galera mesmo, mas não deu - disse.


Nenhum comentário: