sexta-feira, 2 de junho de 2017

No AP, família busca diagnóstico de nova doença de menina com paralisia cerebral

Campanha busca arrecadar R$ 5 mil para exames em São Paulo. Maria Clara foi adotada após ser abandonada em via pública recém-nascida.

Por Fabiana Figueiredo, G1 AP, Macapá

Menina precisa viajar para São Paulo para fazer diagnóstico (Foto: Fabiola Figueiredo/Arquivo Pessoal)
Menina precisa viajar para São Paulo para fazer diagnóstico (Foto: Fabiola Figueiredo/Arquivo Pessoal)

A família da pequena Maria Clara Figueiredo, de 7 anos, está vendendo comidas típicas e organiza uma rifa para custear exames que devem diagnosticar uma nova doença na criança. Ela tem paralisia cerebral, epilepsia, hidrocefalia, e pode estar com cirrose hepática, segundo a família. Os exames não são feitos em Macapá, apenas em São Paulo.

A Secretaria de Estado de Saúde (Sesa) informou que já solicitou a consulta de Maria Clara. Para a marcação da consulta e exames, o hospital paulista solicitou testes feitos no estado. Segundo a secretaria, a família foi informada na quarta-feira (31) que precisa apresentar os exames de imagem e um laudo médico mais detalhado do quadro clínico de Maria Clara.

Para fazer os exames e iniciar o tratamento, a família mobiliza conhecidos e até desconhecidos para arrecadar em torno de R$ 5 mil, que vão custear as despesas com passagens, transporte e hospedagem durante o período em que ficarem na cidade paulista.

A mãe Fabiola Figueiredo conta que a barriga da Maria começou a inchar no início de 2017 e começaram as suspeitas de cirrose hepática, que pode ter sido provocada pelos medicamentos que ela ingere diariamente. A equipe médica que acompanha a menina orientou que a família fizesse o diagnóstico em São Paulo, já que no Amapá o procedimento não é realizado.

“A gente precisa ir para São Paulo para fazer os exames, consultas e ver o que ela tem. Ela não passa mal, a barriga está inchada e as enzimas do fígado dão alteradas. Agradecemos a quem puder ajudar, colaborar. Essa luta com a Maria Clara é constante, desde o dia que ela nasceu”, comentou Fabiola.

  Maria Clara, de 7 anos, busca diagnóstico de cirrose hepática (Foto: Fabiola Figueiredo/Arquivo Pessoal)
Maria Clara, de 7 anos, busca diagnóstico de cirrose hepática (Foto: Fabiola Figueiredo/Arquivo Pessoal)

Maria Clara nasceu prematura, de 28 semanas, e foi abandonada em via pública. A história ganhou repercussão na imprensa e a menina, que passou 7 meses internada na maternidade pública, foi adotada pela professora Fabiola Figueiredo. A criança também tem bronco displasia, deficiência visual em um dos olhos, e tem dificuldades para falar e andar.

A rifa com o sorteio de 11 prêmios será dia 18 de junho, no bairro Santa Rita, Zona Central de Macapá. Também haverá venda de comidas típicas para ajudar nas despesas.

                     Rifa terá sorteio de 11 prêmios no dia 18 de junho (Foto: Fabiola Figueiredo/Arquivo Pessoal)
Rifa terá sorteio de 11 prêmios no dia 18 de junho (Foto: Fabiola Figueiredo/Arquivo Pessoal)

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: