sexta-feira, 23 de junho de 2017

ONG doa próteses de plástico fabricadas com impressora 3D - Veja o vídeo.

Missão do grupo é fabricar próteses de plástico e fazer com que elas cheguem a quem precisa. No Brasil, 20 pessoas já receberam essa doação.

Resultado de imagem para BRASIL          Empresa brasileira faz prótese em impressora 3D com plástico ecológico

Agora um exemplo de solidariedade que está ajudando quem precisa de uma prótese. Voluntários de uma ONG internacional fabricam os equipamentos de plástico com uma impressora em 3D. No Brasil, 20 pessoas já receberam a doação.

Click AQUI para ver o vídeo.

O sorriso é de quem está redescobrindo a vida aos nove anos. Ana Luísa nasceu sem um dos braços. Mas ganhou um novo, de plástico. Brincar de boneca, de bicicleta. Agora ela está craque. “Agora eu consigo pegar direito as coisas. Eu ganhei minha mão, finalmente. Eu estava esperando por esse dia há tanto tempo”, diz Ana Luisa, de 9 anos.

E olha que é só a fase de adaptação. Ela recebeu a prótese há menos de um mês. “Ela está bem criativa, ela quer descobrir coisas novas, tudo ela quer mexer com a mão”, diz Bruna Negrini, mãe da Ana Luísa.

O advogado Paulo Renato perdeu quatro dedos quando trabalhava em uma máquina de ração. Se hoje o advogado do interior de São Paulo toca violão e teclado é por causa das próteses. “Você poder abrir, poder fechar uma porta, você poder fixar a faca junto com o gafo, poder comer como todo mundo te traz uma alegria, um sentimento que não tem explicação", conta.

O Paulo Renato, a Ana Luísa e outras centenas de pessoas no mundo já ganharam a prótese. O Filipe faz parte de uma rede de voluntários que estão espalhados pelo mundo. A missão deles é fabricar essas próteses de plástico e fazer com que elas cheguem a quem precisa. No Brasil, 20 pessoas já receberam essa doação.

As próteses são feitas na casa dele, em uma impressora 3D. Os modelos são padronizados pela ONG americana que criou o projeto. Com fios de plástico, a impressora dá forma às peças que vão montar a prótese. Em meia hora, um dedo fica pronto. A vantagem é o preço: R$ 500, incluindo o material importado e a energia elétrica.

Uma prótese convencional pode custar R$ 100 mil. Por enquanto, os voluntários estão arcando com os custos. Filipe já tinha a impressora 3d quando conheceu o projeto e quis ajudar. “Eu sempre tive interesse em construir dispositivos de auxílio humano. Eu entrei em contato com eles e comecei a ajudá-los”, diz Filipe Wiltgen, voluntário.

No Brasil, a ONG tem 10 voluntários. Quatro são fabricantes, como o Filipe. “É uma emoção muito grande entregar um dispositivo para uma criança e a criança já sair usando e a gente vê como é fácil a gente ajudar os outros. Como é simples ajudar os outros. Basta a gente querer e começar”, conclui o voluntário.

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: