domingo, 18 de junho de 2017

Pais de menino com paralisia precisam de ajuda para pagar cirurgia do filho: 'Guerreirinho'

Procedimento está marcado para setembro e ocorrerá nos Estados Unidos.

Por G1 Santos

               Sorriso de Matheus esconde a luta pela vida desde que nasceu (Foto: Arquivo Pessoal)
        Sorriso de Matheus esconde a luta pela vida desde que nasceu (Foto: Arquivo Pessoal)

Matheus tem um sorriso conquistador, um coração de guerreiro e pressa para andar. Até agosto, os pais dele, moradores de São Vicente, no litoral de São Paulo, precisam arrecadar R$ 260 mil para pagar uma cirurgia capaz de auxiliar no desenvolvimento do filho, que tem paralisia cerebral.

Prematuro de 35 semanas, Matheus Lima dos Santos luta desde que nasceu. Complicações respiratórias pós-parto ocasionaram falta de oxigenação no cérebro. Ele precisou ir à Unidade de Teraria Intensiva (UTI), mas recebeu alta na mesma semana após evolução favorável no quadro.

Aos nove meses ele foi diagnosticado com paralisia cerebral. "Desconfiamos da demora dele para engatinhar e se mover, como todo bebê faz. Passamos por três pediatras, até que decidimos ir a uma neurologista", lembra a mãe, a advogada Sandra Neves Lima dos Santos, de 36 anos.

Ela e o marido desconfiavam de algo errado, mesmo com os médicos garantindo que o desenvolvimento do filho era normal. Da gravidez tranquila até a descoberta foi um susto. "Um mundo diferente se abriu para nós. Era tudo muito desconhecido e difícil", conta Sandra.

Mas o casal não desanimou e passou a buscar por uma solução que pudesse garantir qualidade de vida e independência para o filho no futuro. Matheus iniciou tratamento específico com fisioterapia seis vezes por semana para trabalhar a parte motora e estimular a movimentação.

A paralisia de Matheus é espástica quadriplégica, isto é, afeta a mobilidade de todo o corpo. "Chamamos meu filho de 'guerreirinho', pois ele luta desde que nasceu. Nós temos uma grande missão ", fala o supervisor de informática, Anwerton dos Santos, 34 anos.

Matheus e os pais: menino foi apelidado de
Matheus e os pais: menino foi apelidado de "Guerreirinho" (Foto: Arquivo Pessoal)

Não por acaso, depois de tanto pesquisar, conversar com especialistas e receber orientação de médicos no país, os pais encontraram nos Estados Unidos uma cirurgia capaz de oferecer uma chance ao filho para se mover. O procedimento chama-se rizotomia dorsal seletiva.

"Há no Brasil médicos que fazem essa cirurgia, mas não é o mesmo procedimento que o oferecido lá. Matheus já passou por consulta e o médico nos garantiu que, após a cirurgia, ele vai conseguir andar", fala Anwerton.

Parte do valor necessário eles já conseguiram arrecadar, desde quando iniciaram uma campanha em novembro de 2016 Pela internet, há uma plataforma de doações, mas eles também realizam eventos  e vendem camisetas para tentar sensibilizar amigos e desconhecidos.

A cirurgia está marcada para setembro. Em agosto, ela deve ser paga. "Vai dar certo e vamos conseguir, com a ajuda de todos. Minha grande paixão é corrida e eu sonho em vê-lo correndo comigo. Sei que ainda falta muito, mas estamos fazendo de tudo para conseguir", fala o pai.

A mãe, Sandra, está otimista e confiante de que tudo vai dar certo. "A gente fala muito para o Matheus que tudo com um sorriso no rosto fica muito mais fácil. A gente leva a vida com bom humor. E ele tem um sorriso encantador, sorriso de paquera, sabe?".

No domingo (18), a Feijuca do Guerreirinho, tem o objetivo de auxiliar os pais a chegarem na meta para pagar a cirurgia do Matheus. O evento acontece no Educandário Santista (Avenida Conselheiro Nébias, 680, no bairro Boqueirão) em Santos (SP) às 13h, com convite a R$ 40.

Matheus faz fisioterapia desde os 9 meses, mas ainda não consegue andar (Foto: Arquivo Pessoal)
Matheus faz fisioterapia desde os 9 meses, mas ainda não consegue andar (Foto: Arquivo Pessoal)

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: