sábado, 1 de julho de 2017

Aluno da Pós-Unifor cria robô para ajudar crianças com paralisia cerebral

Idealizado por Alex Aguiar Lins, do Mestrado em Informática Aplicada, o projeto permite a interação das crianças com um robô, controlado por celular.

POR UNIFOR

A criança controla o robô durante um jogo, que é dividido em fases de acordo com o nível de dificuldade, indo desde a montagem da máquina até controlá-la para pegar objetos (Foto: Ares Soares/Unifor)
A criança controla o robô durante um jogo, que é dividido em fases de acordo com o nível de dificuldade, indo desde a montagem da máquina até controlá-la para pegar objetos (Foto: Ares Soares/Unifor)


Poucas coisas fascinam mais as crianças do que os amigos robôs. Unir tecnologia e criatividade, coisa que os pequenos tem de sobra, gera bons resultados. Foi pensando nisso que o aluno do Mestrado em Informática Aplicada, Alex Aguiar Lins, conciliou sua área de estudos com a vontade de criar algo que impactasse positivamente na sociedade, desenvolvendo justamente um robô para auxiliar na reabilitação de crianças com paralisia cerebral.

Em seu projeto, já em fase de implementação no Núcleo de Atenção Médica Integrada da Unifor (Nami), a criança controla o robô durante um jogo, que é dividido em fases de acordo com o nível de dificuldade, indo desde a montagem da máquina até controlá-la para pegar objetos. No decorrer desse processo, as crianças são testadas para distinguir cores e formas, assim como controlar o robô para direita e esquerda.
“É bastante realizador saber que meu trabalho não é apenas uma produção acadêmica, e está ajudando também pessoas que precisam. Projetos como este mostram como os alunos da Pós-Unifor estão sendo estimulados a criar ideias inovadoras, que não visem apenas o crescimento profissional, mas também tenham forte impacto positivo na sociedade. Me orgulho muito de fazer parte das pessoas que contribuem para o fortalecimento desse propósito. Transformei um hobby em algo de impacto positivo”, ressaltou Alex.
Esse robô atua em parceria com o projeto de realidade virtual criado por outra aluna da Pós-Unifor, também do Mestrado em Informática Aplicada. Com esses trabalhos, se espera que sejam alcançados com mais rapidez e eficiência resultados positivos, como o desenvolvimento da coordenação motora, estímulos para a memória e a cognição da criança, e tudo isso no decorrer de um processo que será divertido e satisfatório para elas.
Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: