segunda-feira, 24 de julho de 2017

Brasil encerra participação no Mundial de Atletismo em 9º no quadro de medalhas

Por CPB

Imagem

Terminou neste domingo, 23, o Mundial de Atletismo Paralímpico, em Londres. A equipe composta por 25 atletas fechou o evento com 21 medalhas, sendo oito de ouro, sete de prata e seis de bronze. A performance colocou o país no 9º lugar do quadro geral, que foi liderado pela China. Os asiáticos somaram 65 medalhas (30 de ouro) e foram seguidos pelos Estados Unidos, com 59 medalhas (20 de ouro) e pela Grã-Bretanha, que obtiveram 39 pódios (18 de ouro).

Dos convocados, vinte e quatro atletas foram finalistas em pelo menos uma prova. De olho nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020, o Brasil contou com medalhista de ouro de jovens como Petrúcio Ferreira, 20 anos, que triunfou duas duas vezes; Mateus Evangelista, 23, dono de três pódios e Daniel Martins, 21. Ao mesmo tempo, atletas de maior experiência, como Yohansson Nascimento, 29, e Alessandro Rodrigo, 32, mantiveram-se entre os melhores do planeta.

"O balanço que fazemos da participação brasileira é bastante positivo. Foi uma performance extremamente importante e nos mostrou que estamos no caminho certo, porque visamos sobretudo à melhor participação possível em Tóquio 2020. Estou bastante satisfeito e vejo que, em algumas situações, nós já vemos evolução e, em outras, diagnosticamos ações necessárias para o desenvolvimento da modalidade", disse Mizael Conrado, presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro.

"Nós estabelecemos uma estratégia diferente para este início do ciclo. Criamos índices extremamente fortes e desafiadores e todos os atletas que vieram a Londres tinham, ao menos, a terceira marca do ranking mundial, o que os colocava em posição de ganhar medalhas. Certamente este evento norteará o início deste ciclo e a participação até Tóquio", completou Mizael.

Outro ponto positivo da participação brasileira foi a manutenção dos bons resultados nas provas de campo. Mesmo com a aposentadoria de ícones do campo, como a bicampeã paralímpica Shirlene Coelho, o Brasil conseguiu sete medalhas destas disciplinas. Foram quatro ouros, duas pratas e um bronze.

Esta foi a oitava edição do Mundial de Atletismo Paralímpico. Cerca de 1.300 atletas de 85 países disputam as 202 medalhas, todas no Estádio Olímpico de Londres. Em 2015, em Doha, no Catar, o Brasil havia levado 40 atletas e ficado com a sétima colocação no quadro geral de medalhas do evento. Foram oito medalhas de ouro, 14 de prata e mais 13 de bronze.

De volta ao Brasil
A Seleção Brasileira de atletismo paralímpico retorna ao país nesta quarta-feira, 26. Todos os atletas e a comissão técnica chegam ao Aeroporto Internacional de Guarulhos, em São Paulo, no voo JJ8071, da Latam, com previsão para as 4h50 (horário de Brasília).

Confira todos os medalhistas do Brasil no Mundial Paralímpico de Atletismo de Londres

OURO
Mateus Evangelista - 100m, classe T36
Petrúcio Ferreira - 100m, classe T47
Petrúcio Ferreira - 200m, classe T47
Daniel Tavares – 400m, classe T20
Alessandro Silva - Lançamento de disco, classe F11
André Rocha - Lançamento de disco, classe F52
Thiago Paulino - Lançamento de disco, classe F57
Thiago Paulino - Arremesso de peso, classe F57

PRATA
Yohansson Nascimento - 100m, classe T47
Yohansson Nascimento - 200m, classe T47
Mateus Evangelista - 200m, classe T37
Mateus Evangelista - Salto em distância, classe T37
Jonas Licurgo - Lançamento de dardo, classe F55
Rodrigo Parreira - Salto em distância, classe T36
Izabela Campos - Lançamento de dardo, classe F11

BRONZE
Rodrigo Parreira - 100m, classe T36
Rodrigo Parreira - 200m, classe T36
Edson Pinheiro - 100m, classe T38
Fábio Bordignon - 200m, classe T35
Ricardo Costa - Salto em distância, classe T11
Izabela Campos - Lançamento de disco, classe F11

Patrocínio
A equipe brasileira de paratletismo tem patrocínio das Loterias da Caixa e da Braskem.

Time São Paulo
Os atletas Alessandro Silva, Daniel Mendes, Edson Pinheiro, Gustavo Araújo, Mateus Evangelista, Ricardo Costa e Yohansson Nascimento são integrantes do Time São Paulo, parceria entre o CPB e a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo que beneficia 56 atletas e nove atletas-guia de 10 modalidades.

Fonte: cpb.org.br

Nenhum comentário: