segunda-feira, 24 de julho de 2017

Brasileiros erram no revezamento, e país fica sem medalha na saideira do Mundial - Veja o vídeo

Em prova confusa, com três equipes fora do pódio, Brasil deixa o bastão cair e encerra competição com um total de 21 láureas. Fábio Bordignon fica em quarto na final dos 100m T35

Por Flávio Dilascio, Direto de Londres

Brasileiros erram no revezamento, e país fica sem medalha na saideira do Mundial


Pela primeira vez no Mundial de Atletismo Paralímpico 2017 o Brasil encerrou um dia sem subir ao pódio. Neste domingo, justamente no fechamento competição, o país esteve em ação em quatro provas individuais e no revezamento 4 x 100 classes T11/12/13 (para atletas cegos e com baixa visão). 

Click AQUI para ver o vídeo

Na prova por equipes, o quarteto formado por Gustavo Araújo, Ricardo Costa, Daniel Mendes e Fabrício Júnior não completou a prova após queda do bastão. A falha aconteceu quando Daniel tentou passar o objeto para Fabrício. O Brasil brigava pela liderança naquele momento.

Resultado de imagem para Brasileiros erram no revezamento, e país fica sem medalha na saideira do Mundial
Brasileiros e americanos erram na troca de bastão e são desclassificados do 4x100m T11-13

Com o erro, a delegação verde-amarela fecha a sua participação no Mundial de Londres com um total de 21 medalhas. Ao longo de dez dias foram oito ouros, sete pratas e seis bronzes, o que deixa o país na nona colocação no quadro geral de medalhas.

Se não tivesse acontecido o contratempo na passagem do bastão, a gente certamente teria conseguido essa medalha. Não digo que seríamos os primeiros, mas estaríamos no pódio. Foi um momento tenso aquela passagem de bastão. Ficamos muito tristes, porque era a última oportunidade de conseguir uma medalha - disse Fabrício.

Descrição da imagem: Estádio Olímpico de Londres visto de uma perspectiva linear no último dia do Mundial (Foto: Marcio Rodrigues/MPIX/CPB)
Descrição da imagem: Estádio Olímpico de Londres visto de uma perspectiva linear no último dia do Mundial (Foto: Marcio Rodrigues/MPIX/CPB)

A queda do bastão aconteceu na passagem do terceiro para o quarto atleta. Na mesma troca de corredor, os Estados Unidos também deixaram o bastão cair e ficaram de fora da prova. A Espanha então arrancou para a vitória, cruzando a linha de chegada em primeiro. Só que, instantes depois da comemoração do quarteto formado por Marcos Blanquino, Jose Luiz Taular, Joan Matinez e Albert Selva, os árbitros desclassificaram a Espanha. O motivo foi uma suposta arrancada do guia durante à prova - no atletismo paralímpico, o guia não pode correr à frente do atleta cego.

Com isso, a vitória acabou caindo no colo da China, única das quatro equipes do revezamento 4 x 100 T11/12/13 que não cometeu falhas durante a prova. Os chineses cruzaram a linha de chegada em 48s56. O quarteto vencedor foi formado pelos atletas: Mingyu Chen, Deyi Mao, Wei Liu e Qichao Sun.

Revezamento é isso aí. Essas coisas acontecem. A gente estava bem na prova, mas isso faz parte do esporte. Infelizmente acabou o Mundial para a gente - resumiu Gustavo Araújo na passagem pela zona mista.

Fábio Bordignon fica em quarto na final dos 100m T35

Medalha de prata nos 100m T35 (paralisia cerebral) da Paralimpíada do Rio, Fábio Bordignon não conseguiu repetir o desempenho na mesma prova em Londres. Depois de fazer uma boa largada, o atleta de São Gonçalo foi ultrapassado por três rivais, ficando na quarta colocação, com 12s83. O ouro foi para o ucraniano Ihor Tsvietov (12s38) e a prata para o britânico Jordan Howe (12s82).

Descrição da imagem: Fábio Bordignon corre a final dos 100m T35 ao lado de outros três concorrentes para um estádio lotado (Foto: Marcio Rodrigues/MPIX/CPB)
Descrição da imagem: Fábio Bordignon corre a final dos 100m T35 ao lado de outros três concorrentes para um estádio lotado (Foto: Marcio Rodrigues/MPIX/CPB)

Saio desse Mundial com um misto de sentimentos, tristeza por não ter conseguido medalha na minha prova principal e felicidade por ter conquistado uma medalha onde não sou especialista (Fábio foi prata nos 200m T35). Acho que hoje errei nos detalhes, vou analisar bem a minha corrida, mas acho que levantei um pouco antes de onde deveria levantar - comentou Fabinho.

Nos 100m T53 (para cadeirantes), Ariosvaldo Silva terminou na quinta colocação com 15s10 de tempo. Quem levou o ouro foi o canadense Brent Lakatos (14s52). A prata ficou com o britânico Mickey Bushell (14s85).

Descrição da imagem: João Santos tenta lançar o disco com a mão esquerda (Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB)
Descrição da imagem: João Santos tenta lançar o disco com a mão esquerda (Foto: Daniel Zappe/MPIX/CPB)

No lançamento de disco F46, João dos Santos e Emerson Santos terminaram a prova longe do pódio. João ficou em sexto, com 44,57m de marca, e Emerson em sétimo, com 44,39m. Fechando a participação do Brasil em Londres, Izabela Campos terminou em 11º no arremesso de peso F12. A marca da brasileira foi 9.93m.



Nenhum comentário: