sábado, 1 de julho de 2017

Casal apaixonado por trilhas cria cadeira de rodas adaptada para esposa continuar praticando montanhismo

Da Redação - Letícia Ferro Ferraz

Juliana, Guilherme e Benjamin na Serra da Canastra
Juliana, Guilherme e Benjamin na Serra da Canastra

Desde que se conheceram, Guilherme Simões Cordeiro e Juliana Tozzi sempre gostaram de fazer trilhas e escaladas, mas durante a gravidez, Juliana acabou desenvolvendo uma síndrome neurológica rara, que dentre os sintomas causa dificuldade de locomoção, e isso acabou impedindo-a de praticar os esportes que tanto gostava. O marido, então, fez uma promessa a ela, que apesar das dificuldades, eles iriam voltar a praticar os esportes. Desse determinismo nasceu o projeto "Montanha para Todos", que foi apresentado no Fórum de Acessibilidade e Inclusão de Mato Grosso, que aconteceu no dia dez de junho no Centro de Eventos do Pantanal.

O casal se conheceu na faculdade, em 2005, durante uma viagem da universidade em que frequentaram. Ela estava no último semestre do curso de Ciências Sociais, e ele no primeiro semestre do curso de Química. Desde o início do namoro eles viajavam acampando, e logo depois que o irmão do Guilherme começou a praticar escalada em rocha, o casal fez um curso e começou a praticar o esporte.

Apesar de gostarem, eles se achavam meio solitários, já que quase sempre eram só os dois escalando. Até que conheceram um grupo que fazia trilhas, o que mudou a relação deles com as montanhas. “Acabamos indo fazer uma trilha com cachoeira junto do grupo. Com eles conhecemos um casal que nos falou de uma montanha chamada Pico dos Marins, que fica no município de Piquete, interior de São Paulo, e fez o convite para tentarmos ir nessa montanha. Fomos no próximo fim de semana, e foi assim que nossa paixão pelas montanhas começou”, relata Guilherme.

Nas trilhas que eles fizeram ao longo dos anos, já passaram por diversas aventuras. A mais engraçada de todas, que riem sempre que lembram, é de uma trilha na Serra dos Poncianos, que fica na divisa de Minas Gerais com São Paulo. “Achávamos que ia ser fácil, e não levamos suprimentos adequados. No segundo dia da travessia ficamos sem água. Dividimos então uma laranja para quatro pessoas matarem a sede. No final do dia encontramos um cachorro com sua vasilha de água, e não pensamos duas vezes”, contam.

Desde que se conheceram, os dois já foram a mais de 30 diferentes locais, até que Juliana foi diagnosticada com câncer de mama. Com o apoio da família e determinação, eles venceram esta batalha. No entanto, logo após o susto, o casal decidiu dar uma pausa nas trilhas e montanhas e viver uma nova aventura: a de serem pais.

Durante a gestação da Juliana, ela foi diagnosticada novamente com câncer e também com um novo problema de saúde: Degeneração Cerebelar Paraneoplásica, uma síndrome neurológica extremamente rara. Apesar ds problemas, Juliana conseguiu concluir a gestação até o 7° mês, e então o Benjamin nasceu.

O amor de Juliana e Guilherme pelas montanhas continuava, mas por conta da dificuldade de locomoção que a doença trouxe, ela não conseguia mais chegar até elas. Guilherme, então, prometeu à esposa, que carinhosamente chama de Ju, que iria dar um jeito, e foi assim que ele criou a Julietti.


“Como a Ju estava perdendo muita coisa, no início da doença fiz uma promessa a ela, que o esporte não perderíamos. Encontrei na europa um equipamento com um propósito bem parecido, porém chegaria no Brasil com valor próximo de R$30 mil. Aí fui atrás de desenvolver algo para nossa realidade. Fiz só para levar a Ju, mas quando vimos toda a mídia que estávamos gerando, decidimos abraçar isto, como uma missão e obrigação de espalhar para mais pessoas esta ideia.”

O equipamento desenvolvido foi uma cadeira adaptada para montanhismo com o nome de Julietti, em homenagem a Juliana. Ela deu tão certo que eles começaram um projeto para proporcionar oportunidade para que pessoas com dificuldade de locomoção pudessem praticar montanhismo. O nome desse projeto? Montanha para Todos.

O objetivo do projeto, segundo Guilherme, é que pessoas com qualquer tipo de deficiência saiam da rotina de médico, terapia e casa. “Eles tem que ver que a vida não acaba, temos muito para viver, só que de uma forma adaptada à realidade e limitações de cada um. Queremos que as pessoas normais olhem com mais atenção para com esse grupo enorme, que precisam do nosso apoio". Ele diz que o lema de sua família é mostrar que tudo é possível com determinação, amigos e adaptação.

Para usar alguma das 11 Juliettis distribuídas pelo Brasil, já no primeiro ano do projeto, é só entrar no site do projeto (AQUI), mas eles tem um projeto de aplicativo para facilitar esse processo de encontrar e reservar Juliettis. “Estamos buscando parceiros para desenvolver um aplicativo para efetuar a reserva e notificar por email o voluntário daquela região que está com a tutela da cadeira. Hoje no nosso site tem apenas uma lista com os contatos do tutor de cada cadeira, e para utilizar, você que tem que entrar em contato e combinar a atividade”.

“Queremos transformar o Montanha Para Todos em uma Ong voltada para a inclusão de pessoas especiais nos esportes radicais e atividades outdoor. Queremos distribuir equipamentos adaptados para estas atividades em diversos locais pelo mundo, onde qualquer pessoa poderá utilizá-los sem custo algum. Para tornar tudo isso realidade, vamos montar uma banco de voluntários pelo mundo, dispostos a ajudar e interagir com essas pessoas”, ressalta.


Durante toda essa vida de trilhas de Guilherme e Juliana, a história que mais os marcou foi o primeiro teste da Julietti, no dia dos namorados do ano passado. “Foi um momento muito forte para nós dois. Foi ali que vimos que, mesmo com a doença, poderíamos continuar fazendo o que mais gostamos, e o sentimento da Ju, de estar vivendo aquela sensação de novo, é algo que nunca sairá das nossas cabeças”.

Após a criação da cadeira de rodas, o casal voltou a frequentar trilhas, e agora com a companhia do Benjamin, que já começa a praticar o esporte. “É muito bacana ter o Benjamin conosco, mas muito difícil e trabalhoso para conseguir conciliar os cuidados com ele e com a Ju. Só que tudo é questão de tempo, e logo mais ele estará nos ajudando bastante a proporcionar super momentos para a Juliana.” conta Guilherme.

Em janeiro de 2018, Juliana, Guilherme e o Benjamin planejam iniciar uma viagem de volta ao mundo, em lugares onde planejam conseguir patrocinadores para o projeto, e distribuir uma Julietti em cada estado brasileiro e uma em cada país que passarem na viagem, aumentando assim os lugares disponíveis em que cadeirantes poderão praticar montanhismo pelo mundo.

Nenhum comentário: