quarta-feira, 26 de julho de 2017

Movimento paulista de segurança no trânsito alerta sobre acidentes para reduzir número de vítimas

Nove Secretarias do Governo de São Paulo participam do Comitê que tem como meta reduzir pela metade as vítimas fatais de acidentes de trânsito

                


Desde agosto de 2015, com o lançamento do Comitê Gestor do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – Vida dê Preferência, o Governo do Estado de São Paulo vem implantando ações para chamar atenção para a questão de acidentes de  trânsito.

A Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo participa da iniciativa, que tem como principal objetivo reduzir pela metade as vítimas fatais nos acidentes de trânsito no Estado de São Paulo até 2020. Para que a meta seja alcançada, o Governo intensificou esforços em ações voltadas para educação no trânsito, segurança das vias e veículos, além de gestão nas respostas para acidentes.

A Campanha foi inspirada na Década de Ação Pela Segurança Viária, período de 2011 a 2020, estabelecido pela Organização das Nações Unidas para chamar atenção para a questão da violência no trânsito.

Uma das ferramentas da ação para auxiliar na elaboração de políticas públicas relacionadas à segurança no trânsito é o INFOSIGA SP, um banco de dados que reúne informações de acidentes de trânsito de diversas fontes. Com esse mapeamento, as ações são traçadas com ainda mais precisão, resultando em benefício a toda a sociedade.

Alguns municípios também firmaram convênios com o Governo para que iniciativas locais sejam aplicadas e seus resultados sirvam de modelo para outras cidades do Estado.

Outra ação importante foi a de elaborar um trabalho integrado com as principais instituições que compartilham responsabilidades relacionadas ao tema, já são pelo menos 20 parceiros.

ACIDENTES NO MUNDO
A Organização Mundial de Saúde - OMS estimou que, em 2013, a população mundial era de 6,79 bilhões de habitantes e a frota de veículos automotores de 1,53 bilhões (Global status report on road safety, 2013, World Health Organization - WHO). Os acidentes de transporte terrestre provocam 1,24 milhão de mortes por ano (18 mortes/100 mil habitantes) e 20 a 50 milhões de feridos, resultando em 16 a 40 feridos para cada morto). A situação é grave e a OMS aponta tendência de piora, em especial nos países de baixa e média renda, que têm 84% da população, 53% da frota e 92% dos óbitos.

A “Década de Ações para Segurança Viária” de 2011-2020 implantada pela ONU (Resolução ONU n.º 64/255, aprovada em março de 2010) tem o objetivo de estabilizar e reduzir as mortes por acidente de transporte terrestre em todo o mundo, em especial nos países de média e baixa renda.

A ONU aprovou uma resolução em 2014 (“melhorar a segurança viária global”) e incentiva a inclusão da segurança viária na agenda de desenvolvimento pós-2015, somando-se aos Oito Objetivos Globais do Milênio, da ONU: acabar com a fome e a miséria; educação básica de qualidade para todos; igualdade entre os sexos e valorização da mulher; reduzir mortalidade infantil; melhorar saúde das gestantes; combater a AIDS, a malária e outras doenças; qualidade de vida e respeito ao meio ambiente e; todos trabalhando pelo desenvolvimento. Os custos mundiais decorrentes de acidentes de trânsito são estimados pela OMS em aproximadamente US$ 518 bilhões por ano.

ACIDENTES NO BRASIL
Para 2013, a população do Brasil foi estimada em 201,03 milhões (IBGE; 3,0% da mundial), a frota em 81,60 milhões (DENATRAN; 5,3% da mundial) e a quantidade de condutores habilitados entre 53 e 56 milhões (DENATRAN, 2007, projeção para 2013).

No país, em 2013, os acidentes de transporte terrestre mataram 42.266 pessoas (DATASUS, em 13/05/2015) e feriram outras 169.901, valores crescentes, em relação aos anos anteriores. Isso representa um índice de 21 óbitos por 100 mil habitantes. Em termos de vítimas fatais, esse cenário se configura como a segunda maior causa externa de mortes, atrás apenas dos homicídios, com 56.804 casos.

ACIDENTES NO ESTADO DE SÃO PAULO
Para 2013, a população do Estado de São Paulo foi estimada em 43,66 milhões (IBGE; 22% do Brasil), a frota em 25,58 milhões (DETRAN; 31% do Brasil) e a quantidade de condutores habilitados em 21,33 milhões (DETRAN; estimada em 38% do Brasil).

No Estado de São Paulo, em 2013, os acidentes de transporte terrestre provocaram 6.564 mortes e 38.140 internações de residentes do Estado, ambos menores do que no ano anterior.

Esses 6.564 óbitos correspondem a uma taxa de 15 mortes por 100 mil habitantes, sendo 27% pedestres, 24% motociclistas e 20% ocupantes de automóveis, que perfazem 71% dos óbitos. Os 29% restantes distribuem-se entre os transportados por bicicletas, triciclos, camionetes, ônibus, caminhões, animais, bondes, veículos agrícolas e demais veículos motorizados não identificados.

Em 2013, homens foram 82% das vítimas fatais, enquanto representam 49% da população total do Estado. Nesse mesmo ano, 44% dos óbitos ocorreram na faixa entre 20 e 39 anos, apesar dessa faixa etária representar apenas 33% da população (Projeção do IBGE para 2013 e dados de óbitos do SIH/DATASUS).

CAMPANHA DA SECRETARIA: PREVENÇÃO 
No dia 03 de dezembro de 2014, Dia Internacional de Luta das Pessoas com Deficiência, a Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência de São Paulo e o Instituto Lucy Montoro de Reabilitação – Unidade São José do Rio Preto lançaram a “Campanha por mais Segurança e Vida no Trânsito". Com o slogan "Pé na Faixa, Pé no Freio! Celular e Direção, Péssima Combinação!”, o lançamento oficial aconteceu no Hospital de Base de São José do Rio Preto, interior de São Paulo.
 
Na região de São José do Rio Preto, de janeiro a julho/2014, foram registrados cerca de 2,5 mil acidentes de trânsito com vítima, sendo que uma estimativa da polícia local  aponta que, em 35% dos casos, quem provocou a batida acaba fugindo sem prestar socorro.
 
No mesmo período, dos casos registrados dentro do perímetro urbano e nas estradas da região, 177 terminaram em morte. O Instituto Lucy Montoro de Rio Preto atende atualmente a 150 pessoas da região que sofreram amputação em decorrência de acidentes de moto.
 
Levando em conta os dados alarmantes e o número de pessoas que adquirem deficiência, o Governo de São Paulo lançou essa campanha para conscientizar a população local sobre os perigos e riscos da negligência ao volante.
 
A iniciativa conta com a parceria da FUNFARME - Fundação Faculdade Regional de Medicina/Hospital de Base de Rio Preto e com o apoio da Associação Brasileira de Medicina Física e Reabilitação.
 
Saiba mais sobre o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – Vida dê Preferência: http://www.segurancanotransito.sp.gov.br/


Nenhum comentário: