sexta-feira, 21 de julho de 2017

Polícia Civil investiga mortes em clínica que recolhe moradores de rua em Jarinu - Veja o vídeo.

Em um mês, 14 pacientes morreram na Associação Missão Belém. Entidade atende cerca de 800 pessoas com deficiências físicas e mentais.

Por G1 Sorocaba e Jundiaí

Clínica em Jarinu está na mira da Polícia Civil e do Ministério Público (Foto: Reprodução/TV TEM)
Clínica em Jarinu está na mira da Polícia Civil e do Ministério Público (Foto: Reprodução/TV TEM)

A Polícia Civil vai investigar 14 mortes registradas em um mês na Associação Missão Belém, que é um centro de acolhida para pessoas com deficiências físicas e mentais em Jarinu (SP).

Equipes da Polícia Civil estiveram nas unidades da Missão Belém nesta quarta-feira (19) e requisitou uma perícia.

Click AQUI para ver o video

O objetivo é avaliar em quais condições e possíveis doenças em que as mortes ocorreram, além de conhecer o nome dos médicos que assinaram os atestados de óbito.

O responsável da Missão Belém - que está em uma missão no Haiti - informou em nota que 800 assistidos têm doenças físicas e mentais, e que essas pessoas que morreram tinham a saúde extremamente debilitada por conta do uso de alcóol e drogas ao longo da vida.

A nota diz também que a missão é sem fins lucrativos e que pagava um médico e uma enfermeira para atender os internos.

Resultado de imagem para Polícia Civil investiga mortes em clínica que recolhe moradores de rua em Jarinu
Polícia Civil irá investigar mortes na Associação Missão Belém de Jarinu

Investigação

O secretário de Saúde de Jarinu, Antenor Gomes Gonçalves disse que está acompanhando toda essa situação e que apoia a investigação da Polícia Civil.

Já o Ministério Público informou também em nota que, em 2011, instaurou um inquérito civil para averiguar a internação de idosos e adolescentes na associação.

Deste inquérito, concluiu-se que fechar a associação "não era medida correta, podendo criar um problema social ainda maior".

Com relação as 14 mortes registradas recentemente na Associação Missão Belém, a nota do Ministério Público disse que não constam no inquérito.

Fonte: g1.globo.com

Nenhum comentário: