sexta-feira, 21 de julho de 2017

Somos Mulheres e temos Deficiência... ACEITE!


Vivemos em uma cultura onde a mulher precisa ter um corpo perfeito para ser considerada bonita, vestir-se corretamente para não chamar a atenção de nenhum homem, "dar conta" do marido para ele não "procurar na rua o que falta em casa", entre outras coisas... São imposições que a sociedade estabelece às mulheres, que as deixam totalmente sem escolhas.

Além destas regras, nós mulheres com deficiência acabamos sofrendo outros tipos de opressões/discriminações e muitas não percebemos.

-A todo momento somos pressionadas a sermos mães para provar a nossa fertilidade;
-Precisamos "agradecer à Deus" por termos um companheiro(a) que aceite estar em um relacionamento com uma pessoa com deficiência;
-Precisamos conseguir limpar a casa, pois é a nossa função como mulher;
-Precisamos provar que podemos atrair alguém, e que somos iguais as mulheres sem deficiência.

Esses pensamentos acabam se tornando uma verdadeira ditadura e fazem com que muitas de nós acreditemos que são reais, que somos obrigadas a aceitar pois é "normal"!

Mas, preciso te dizer uma coisa: ESTÁ TUDO ERRADO!

Uma leitora, a qual não iremos identificá-la, aceitou dar seu depoimento sobre um relacionamento que teve:

"...Sou cadeirante, vivi num relacionamento de 4 anos e ele sempre falava frases do tipo: "eu vivo em torno de ti... você nunca vai encontrar alguém que faça, o que eu faço, por você"; muitas vezes me chamava de acomodada, preguiçosa...

Pessoas próximas, e até desconhecidos, viviam dizendo que eu deveria agradá-lo de todas as formas possíveis e que eu deveria ter muita gratidão por tudo que ele fazia pra mim...Cansei de ver ele receber "parabéns" por estar comigo, como se ele fosse um guerreiro de me aguentar.

Depois do termino, entrei para um grupo de mulheres com deficiência e foi lá onde descobri que muitas delas também já tinham passado por tudo isso. Foi no grupo que descobri que meu relacionamento era abusivo e que a culpa não era minha...

O pior de tudo é saber que todos me acham uma ingrata por não ter valorizado o belo homem que estava ao meu lado..."

Fernanda Harter (futura Assistente Social), é feminista e afirma que é de grande importância que as mulheres com deficiência se unam para juntas apoiar uma à outra.

                                
                            Fernanda Harter

"...Acredito que o feminismo, enquanto movimento que luta pela emancipação e pela garantia das mulheres de serem elas mesmas, tem muito a agregar no movimento da pessoa com deficiência, pois ajuda as mulheres com deficiência entender a sua condição de mulher, e passar pelo processo de aceitação, entender que tudo bem ela ter uma deficiência.

Não aceitar qualquer amor, ter o direito de escolha, não viver em um relacionamento onde está infeliz só por medo de não encontrar outra pessoa. O feminismo ajuda a entender que a mulher pode ser quem e o que ela quiser..."

Por sua vez, a publicitária Fatine Oliveira também vem lutando pelo feminismo das mulheres com deficiência. Veja o que ela diz sobre isso:

                                   
                              Fatine Oliveira

"... É muito comum pessoas com deficiência comentarem sobre a dificuldade de encontrar parceiros e a solidão que isso provoca. Para as mulheres com deficiência esse sentimento se reforça por não se encaixar ao padrão de beleza social, por isso muitas acreditam que jamais encontrarão homens capazes de amá-las ao ponto de assumirem uma relação mais duradoura, levando-as a se manter em relacionamentos abusivos por medo de ficar sozinha. Quando a deficiência é mais severa esse quadro piora. Como a vítima não tem condições de se defender é comum a prática de estupro por pessoas próximas ou familiares.

Infelizmente pela falta de reconhecer-se mulher e compreender seus direitos e valores como tal, muitas mulheres com deficiência desconhecem seu papel no feminismo, participando pouco do movimento. Por esse motivo, quase não se vê nossas pautas serem discutidas ou cobradas em eventos sociais. É necessário uma união de esforços, bem como estudar mais sobre o tema e entender sua importância para que possamos avançar nessa luta..."

Somos Mulheres e temos Deficiência! Não somos obrigadas a nos adaptar para ser igual à ninguém. É essa sociedade (por vezes cruel) que deve nos enxergar e respeitar nossos direitos e escolhas. Devemos nos conscientizar de que isso é errado e a nossa deficiência não é o motivo para sermos obrigadas a aguentar tudo isso!

Grande parte das mulheres com deficiência sofrem discriminações físicas/psicológicas vindas de pessoas (muitas vezes próximas) que não aceitam nossas diferenças.

Se você estiver sendo pressionada psicologicamente ou fisicamente a fazer algo que você não quer, ligue para o número 180 que você receberá apoio e orientações sobre como resolver esse problema, ou se preferir, envie-nos um e-mail e converse conosco (cantinhodoscadeirantes@hotmail.com)!

Nenhum comentário: