domingo, 6 de agosto de 2017

Casal com esclerose múltipla se conhece em blog sobre doença

Gustavo Roth/Folhapress
Legenda. (Foto: Gustavo Roth / Agência Preview) © 31JUL17 Agência Preview - Banco de Imagens ORG XMIT: Gustavo Roth
A publicitária Bruna Rocha Silveira e o historiador Jaime dos Santos Jr. com o filho Francisco, em Porto Alegre

LÍGIA MORAIS DA EDITORIA DE TREINAMENTO

Na sala de parto, a cena que mais emocionou Bruna Rocha Silveira, 31, foi ver o filho nos braços do marido. Devido à esclerose múltipla, Jaime dos Santos Jr., 33, o Jota, tem dificuldade de fazer alguns movimentos com as mãos e temia não conseguir segurar o filho no colo. Bruna, que também tem a doença, conta que Jota foi o primeiro a segurar o bebê.

O casal se encontrou graças ao blog "Esclerose Múltipla e Eu", criado pela publicitária em 2009, nove anos após receber o diagnóstico de esclerose múltipla recorrente-remitente, tipo predominante da doença no qual os sintomas –como fadiga e visão turva– aparecem e somem.

A gaúcha havia se afastado do jornal em que trabalhava, em Passo Fundo (RS), por causa da fadiga causada pela doença e da falta de tempo para fazer fisioterapia e exercícios físicos, que ajudam no tratamento.

Enquanto estudava para um mestrado em Porto Alegre (RS), Bruna começou o blog. "Queria escrever para que as pessoas encontrassem vida na internet, e não só informações tristes sobre o prognóstico da doença."

Formado em história, Jota conheceu o blog três anos depois, em 2012, ao ser diagnosticado com esclerose múltipla primária progressiva. Também às vésperas de começar um mestrado em São Paulo, tinha dúvidas se conseguiria seguir carreira acadêmica com a perda de mobilidade –característica do tipo mais grave da doença, em que os sintomas pioram com o tempo.

A partir do primeiro comentário no blog, os dois passaram a trocar mensagens todos os dias. Foram se conhecer pessoalmente só no ano seguinte, em uma conferência em São Paulo. Logo depois, começaram a namorar.

Com o agravamento da doença de Jota, a viagem entre a capital paulista e Porto Alegre foi ficando mais difícil. Em 2015, ele começou a usar cadeira de rodas para andar na rua. No mesmo ano, foi morar com Bruna e ambos decidiram ter um filho.

"Nunca nos preocupamos em ser pais com esclerose, mas parece que o mundo inteiro tinha esse receio", diz Bruna.

Muitas pessoas perguntavam se o bebê também poderia ter a doença. "Eu respondia sempre: não tem como saber, mas se ele tiver, vai estar na família mais bem preparada para receber essa criança."

Em dezembro de 2016, nasceu Francisco. Desde a gravidez, o casal registra no vlog "Esclerose Múltipla e o Bebê" os medos e as experiências de criar o filho.

Hoje com oito meses, Francisco escuta o barulho da cadeira de rodas motorizada e já reconhece que é o pai se aproximando. "Às vezes ele pede para sentar no colo do Jota só para poder mexer nos controles, nas luzes e na buzina da cadeira. Esses dias até me atropelou aqui em casa", conta Bruna, rindo.

A publicitária diz que nunca imaginou que construiria uma família a partir do blog sobre esclerose –e já não vê a hora de ter mais bebês.

Nenhum comentário: