terça-feira, 8 de agosto de 2017

Lucas Damasceno encerra participação no Mundial sem medalhas

Paratleta acreano fica em 11º nos 100m e 14º nos 200m, mas por idade é o melhor índice no T35 e segundo nos 200m. Evento foi disputado até este domingo (6), na cidade de Nottwil, na Suíça

Por GloboEsporte.com, Rio Branco, AC
Lucas Damasceno, paratleta acreano (Foto: Lucas Damasceno/arquivo pessoal)
Lucas Damasceno, paratleta acreano (Foto: Lucas Damasceno/arquivo pessoal)

O acreano Lucas Vinicius Damasceno (T35), 18 anos, encerrou a participação no Campeonato Mundial de Jovens de Atletismo 2017, disputado até este domingo (6), na cidade de Nottwil, na Suíça. O paratleta ficou em 11º nos 100m e 14º nos 200m e não subiu ao pódio, mas por idade é o melhor índice no T35 e segundo nos 200m.

Segundo o professor e técnico Antonio Clodoaldo Castro, os critérios de classificação dificultaram as medalhas, mas Lucas já é um campeão, pela participação inédita. Ele enaltece o desempenho dos paratletas acreanos em competições nacionais e internacionais e lamenta a falta de investimentos para o desenvolvimento integral do esporte paralímpico de alto rendimento.

Lucas não subiu ao pódio, porém já é um campeão na vida e representou muito bem o Paraatletismo do Acre e do Brasil. O mais importante para nós técnicos, é que o menino de 18 anos volte com a cabeça boa, e que possamos continuar a fazer nosso trabalho, pois acreditamos que estamos no caminho certo. 

Aproveito para lembrar, temos recebido algumas ajuda sim, mas infelizmente o esporte de alto rendimento não consegue sobreviver de apoio pontuais. Precisamos de um patrocínio formal e contínuo. Talentos nosso Acre tem, só precisamos dar uma estrutura melhor a esses guerreiros - destaca.

Diagnosticado com paralisia cerebral em grau leve quando era bebê, que atinge o desenvolvimento mental, a visão a coordenação motora, Lucas começou a andar aos seis anos de idade e hoje, aos 18, coleciona medalhas conquistadas em competições estaduais e nacionais. Ele foi um dos 10 atletas que formaram a seleção brasileira na disputa do Mundial. O jovem retorna à Rio Branco nesta quarta-feira (9).

Durante os quatro dias do Mundial , a delegação brasileira conquistou 15 medalhas, sendo seis de ouro, seis de prata e três de bronze. O resultado colocou o país em 7º lugar no quadro geral. No total, 275 atletas de 40 países participaram do inédito Mundial organizado pelo Comitê Paralímpico Internacional (IPC, em inglês). Na competição, os atletas foram separados em duas categorias: de 14 a 17 anos e de 18 a 19 anos.

Nenhum comentário: