quinta-feira, 19 de abril de 2018

Do choro ao pódio! Wilians Araújo quer medalha na Copa do Mundo IBSA de Judô

Foto: Cleber Mendes/CPB/MPIX
Do choro ao pódio! Wilians Araújo quer medalha na Copa do Mundo IBSA de Judô
Legenda: Wilias Araújo no pódio dos Jogos Paralímpicos Rio 2016

Em 2011, aos 20 anos, Wilians Araújo foi o último colocado nos Jogos Mundiais da IBSA, em Antalya, Turquia. Sete anos após participar de sua primeira competição internacional, o peso pesado retorna à cidade para a disputa da Copa do Mundo como líder do ranking e medalhista paralímpico.

Uma luta. Terminou assim a participação do promissor judoca em sua primeira experiência internacional. A caminhada pelo corredor até o tatame foi longa, e antes mesmo de pisar na sua área de luta, Wilians Araújo já se emocionava e as lágrimas escorriam pelo seu rosto.

O choro não se interrompeu durante os cinco minutos de luta contra o russo Osman Akaev – vencedor com um Yuko, pontuação mínima na época, agora extinta. O fato ainda está vivo na memória de Wilians, que lembra da situação e reconhece que o lado emocional acabou prejudicando seu desempenho na oportunidade.

“A principal lembrança é da luta que acabei perdendo para um russo. Fiz de tudo para ganhar e no final ele conseguiu me dar um Yuko. Lutamos cinco minutos e não consegui reverter essa situação. Minha parte psicológica era bem desequilibrada na época, era muito emotivo. Lembro que quando fui lutar, entrei chorando. Andava pelo corredor em direção ao tatame e entrei chorando. Talvez tenha sido essa emoção excessiva que fez com que eu não avançasse. Chorei durante o combate inteiro. Às vezes lembro dessa situação e vejo o quanto evoluí”, recordou Wilians.

Retornar ao local onde deu início a uma carreira vitoriosa, com medalhas mundiais, paralímpicas e em outras competições, o motiva. Um dos favoritos ao título da Copa do Mundo, o vice-campeão dos Jogos Rio 2016, quer escrever uma nova história em Antylia, dessa vez com um final feliz.

“Ganhar uma medalha vai ter um gosto especial. Quero chegar lá e conquistar o que há sete anos não veio. É uma cidade maravilhosa e saí de lá na última colocação. Hoje vou para brigar por uma medalha e se Deus quiser vai dar tudo certo”, prometeu.

Mesmo projetando uma conquista na Turquia, Wilians Araújo tem ambições ainda maiores e pensa na cereja do bolo: os Jogos Paralímpico de Tóquio 2020. O judoca quer somar mais pontos para se manter na liderança do ranking mundial, e assim conseguir a vaga em sua terceira Paralimpíada.

“Faz parte do meu planejamento no ciclo, ganhar medalhas em todas as competições. Sinto uma responsabilidade imensa, mas acredito no trabalho que está sendo feito. Quero estar no pódio mais uma vez e somar pontos no ranking para conseguir a vaga nos Jogos Paralímpicos de Tóquio 2020”, almejou o judoca.

Wilians Araújo embarca na madrugada desta quinta-feira, 19, para Antalya ao lado de Alana Maldonado, Antônio Tenório, Lúcia Araújo, Rebeca Silva e Thiego Marques, mais os técnicos Alexandre Garcia e Jaime Bragança. A competição individual será no dia 22 e por equipes no dia 23. Nos dias 24 e 25 os judocas participarão de treinos com atletas de outros países e no dia seguinte retorna para o Brasil.

Confira a programação completa: https://bit.ly/2q5wJrw

Patrocínio e apoio ao esporte

Com o patrocínio da Infraero desde 2009, o judô paralímpico brasileiro conta com recursos oriundos desta parceria, fundamentais na execução das fases de treinamento, realização das duas etapas do Grand Prix, intercâmbios dos atletas da seleção, contratação de profissionais para a equipe multidisciplinar, além de atender outros projetos importantes para o crescimento da modalidade no país.

Fonte: cbdv.org.br

Nenhum comentário: